Servidores lançam campanha salarial

Um dos eixos principais da campanha é a luta contra os ataques do PAC e em favor do direito de greveNo dia 15 de março, cerca de 800 servidores públicos federais de todo o país realizaram o ato público de lançamento da Campanha Salarial 2007 em Brasília. O ato ocorreu no auditório Nereu Ramos, na Câmara, terminando com uma passeata até o Palácio do Planalto, onde uma comissão da Cnesf (Coordenação Nacional dos Servidores Públicos Federais) protocolou documentos com as reivindicações dos servidores.

Plenárias preparam mobilizações
Já nos dias 13 e 14 ocorreram as plenárias setoriais e a nacional dos servidores federais. A principal discussão que polarizou os debates foi sobre o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e os ataques aos trabalhadores contidos na medida. Na maioria das plenárias setoriais, os servidores aprovaram que um dos eixos da campanha seria a luta global contra o PAC. No entanto, nas plenárias da Condsef e Fasubra, entidades com direções atreladas à CUT, os governistas conseguiram aprovar a luta apenas contra os ataques do PAC aos servidores, sendo que na Condsef tal votação se deu com uma pequena margem de votos.

Na plenária nacional, a fim de não romper a unidade em torno da mobilização da campanha salarial, foi aprovada a luta contra os ataques do PAC à categoria, remetendo a discussão à base sobre a luta global contra o programa, que afeta todos os trabalhadores. Apesar disso, as entidades da Conlutas denunciaram fortemente o PAC como um todo, afirmando a necessidade de se derrotar o programa. No entanto, mesmo o governismo jogando peso na plenária para impedir mobilizações contra o Plano de Lula, foi aprovado um dia nacional de luta em abril. No dia 17 de abril haverá mobilizações nos estados, com atos e paralisações.

Além disso, outro ponto bastante discutido foi a recente divulgação da intenção do governo Lula de acabar com o direito de greve do funcionalismo, certamente prevendo as paralisações que os servidores farão contra o PAC. Várias entidades já aprovaram indicativo de greve em abril.

Após o dia 17 de abril, os servidores aprovaram a realização de novas plenárias até o dia 6 de maio, assim como uma nova reunião ampliada das entidades que compõem a Cnesf (Coordenação Nacional de Entidades dos Servidores).

Reivindicações dos servidores
– Política salarial com incorporação das gratificações,
reposição salarial das perdas de 1995 a 2006.
– Reajuste anual da Inflação com ganho real;
– Correção das distorções nas carreiras;
– Isonomia salarial com definição de piso;
– Data-base em 1º de maio;
– Retirada no PAC da proposta de despesa com pessoal;
– Isonomia dos benefícios no valor mais alto;
– Fim das terceirizações e contratos temporários com abertura de concursos públicos e abertura de novas vagas;
– Negociação coletiva;
– DPC/Planos de Carreiras;
– Paridade entre ativos e aposentados e pensionistas;
– Promover amplo debate sobre a PLP-01 do PAC, que trata
dos gastos com os Servidores Públicos Federais;
– Dia Nacional de Luta dos SPFs, em 17 de abril,
com paralisação.

Post author Da reação
Publication Date