Protestos contra o G-8 sofrem repressão na Escócia

Cerca de 60 manifestantes são presosVárias manifestações antiglobalização já começaram a ocorrer na Escócia, dias antes do início da reunião do G-8, grupo que reúne os países mais ricos do planeta mais a Rússia. Os protestos ocorridos nesta segunda, dia 4, são parte de uma série de mobilizações que teve início no sábado, dia 2, e que devem continuar durante esta semana.

Durante as marchas de centenas de pessoas na cidade de Edimburgo, na Escócia, no dia 4 de julho, houve confronto com a polícia e pelo menos 60 manifestantes foram presos. Foram pelo menos três marchas em diferentes pontos da capital, cada uma reunindo cerca de 250 pessoas. Grande parte dos que protestavam estavam vestidos de preto, em contraste com a marcha pacifista realizada no sábado, na qual os participantes vestiam branco.

Os protestos do dia 4 começaram pacificamente, ao som de tambores e sinos. Depois, os manifestantes tiveram que correr e mudar as rotas das passeatas para fugir do policiamento ostensivo que fora preparado para conter as mobilizações.

O objetivo das marchas era denunciar a guerra imperialista, bem como protestar contra os líderes e os países do G-8, principais responsáveis pela pobreza e exploração no planeta. A reunião do G-8 começa no dia 6, no castelo de Gleneagles, e deve durar até o dia 8. Na quinta-feira, dia 7, o presidente Lula deverá participar da reunião para reivindicar que o Haiti seja incluído no pacote de ‘ajuda financeira’.