Nota: PSTU repudia fundo empresarial para “novos políticos” apoiado por Huck

O jornal Folha de S. Paulo noticiou na sua edição de 30 de novembro que representantes ou representante do PSTU teriam se inscrito em seleção para receber bolsas de estudos e participar de cursos do “RenovaBR”, organização financiada pelo empresário Eduardo Mufarej sócio do fundo de investimento Tarpon. Tal projeto, segundo o jornal, conta também com apoio e possível contribuições de Abílio Diniz (sócio do Pão de Açúcar), de Luciano Huck e outros milionários membros da burguesia.

O PSTU, porém, não apenas não participa, como repudia esses cursos de “formação de políticos” dos detentores do capital, sejam banqueiros, grandes empresários, ruralistas, grandes comerciantes, que vivem da exploração da classe trabalhadora e da pobreza e miséria da maioria do nosso povo.

O PSTU é um partido que defende a igualdade e, portanto, o fim da exploração. Isso pressupõe o fim dos exploradores, através da expropriação (estatização sem indenização) dos meios de produção, circulação e troca hoje em mãos da burguesia (banqueiros, grandes empresários, ruralistas e etc.). Para o PSTU, o fundo de “investimento” do Sr. Mufarej deveria ser expropriado, estatizado e colocado sob controle dos trabalhadores. Defendemos um governo socialista dos trabalhadores, ou seja, que os trabalhadores, o povo pobre e os oprimidos governem através de conselhos populares.

Defendemos as liberdades democráticas e acusamos de antidemocrática essa democracia dos ricos existente hoje. Um deputado deveria poder ser destituído a qualquer momento e não ser eleito por quatro anos para fazer o que bem entende e retirar direitos dos trabalhadores, como querem fazer agora com a reforma da Previdência, que certamente o Sr. Mufarej apoia contra 90% da população. Defendemos que o salário de um político não possa ser maior do que o de uma professora ou de um operário.

Coerente com seu programa, o PSTU por princípio nunca aceitou e não aceita receber dinheiro de empresários nas suas campanhas, porque sabemos que quem paga a banda, escolhe a música. Com igual coerência, jamais participaria de cursos da classe dominante para ser gerente desse sistema capitalista contra a maioria do povo.

O PSTU, então, perante essa notícia, está requisitando formalmente ao RenovarBR, do Sr. Eduardo Mufarej e também ao jornal Folha de S. Paulo, que nos deem o nome do suposto “representante” do PSTU inscrito em tal curso. Se realmente existir algum filiado ou membro PSTU inscrito, este será imediatamente expulso, por romper frontalmente com o programa do partido, como assegura nossos estatutos. Se não, processaremos o Sr. Mufarej e sua escola por calúnia e difamação.

Ao jornal Folha de S. Paulo, pedimos a publicação desta nota, além do nome do representante do PSTU a que se refere a matéria.

Direção Nacional do PSTU – 30/11/2017