Light mantém demissões e persegue dirigentes sindicais

É necessária uma ampla campanha contra as demissões e pela readmissão dos companheirosOs 80 trabalhadores que ocupavam a unidade de triagem da empresa de distribuição de energia Light, do Rio de Janeiro, foram truculentamente retirados na noite de 12 de abril. A empresa conseguiu um mandado de reintegração de posse e os trabalhadores foram expulsos da ocupação sob os fuzis da polícia do Rio de Janeiro.

No dia seguinte, os dois principais dirigentes sindicais da oposição, Ronaldo Moreno, presidente da Associação dos Empregados da Light, e Sônia Latgé, presidente da chapa de oposição, que também participavam da ocupação, foram demitidos por “justa causa”. A demissão de Moreno e Sônia se somam aos ataques da empresa aos trabalhadores da Light do Rio de Janeiro.

Os trabalhadores protestavam contra 44 demissões de trabalhadores do almoxarifado central, responsável pelo fornecimento de equipamentos para empreiteiras e pela manutenção do sistema de distribuição. Eles exigiam a manutenção do setor com todos os seus funcionários, além da incorporação de todos os terceirizados ao quadro da empresa.

Cada demissão tem como resultado imediato o avanço do sucateamento da empresa, com prejuízo aos serviços e transtornos à população. Conclamamos as entidades e movimentos de esquerda de todo país a realizarem uma ampla campanha contra as demissões e pela readmissão dos companheiros.

Abaixo, publicamos os endereços da direção da empresa para que as entidades enviem cartas e moções.

José Luis Alquéres, presidente da Light
Av. Marechal Floriano, 168, Centro – Rio de Janeiro – RJ CEP 20080-002 – Caixa Postal 0571

Ana Silvia Matte, diretora de RH
Av. Marechal Floriano, 168, Centro – Rio de Janeiro – RJ CEP 20080-002 – Caixa Postal 0571

Com cópia para AEL (Associação dos Empregados da Light)
Av. Marechal Floriano, 199, 4º andar, Centro – Rio de Janeiro – RJ
CEP 20080-002

SAIBA MAIS: