GM pára na segunda-feira contra Emenda 3 e reformas do governo

Dia 23 de abril será dia de luta e mobilizações em todo o paísO Sindicato dos Metalúrgicos de São José planeja fazer uma paralisação de quatro horas na fábrica da General Motors (GM) na segunda-feira, dia 23, contra a aprovação da Emenda 3, em processo de votação no Congresso, e contra as reformas do governo Lula.

A proposta é paralisar duas horas em cada turno, no primeiro e segundo, conforme já foi decidido pelos trabalhadores em assembléias na última terça-feira.

Na mesma segunda, poderá entrar em votação a Emenda 3. A Emenda 3 foi apresentada no Senado na votação do projeto da Super-Receita e impede os fiscais do Ministério do Trabalho de autuarem empresas que fraudam os direitos dos trabalhadores.

Muitas empresas não estão contratando mais com carteira assinada. Elas obrigam o trabalhador a criar uma firma individual – pessoa jurídica (PJ) – e fazem um contrato com essa PJ, deixando de pagar 13° salário, férias, licença-maternidade e horas-extras, dentre outros direitos. Se o trabalhador sofre acidente, não tem direito ao seguro do INSS.

“A Emenda 3 antecipa a reforma trabalhista que os patrões e o governo Lula estão tentando realizar. Se for aprovada, o trabalhador perderá a proteção da Justiça e os patrões vão deitar e rolar, trocando empregados por autônomos, sem pagar férias, Fundo de Garantia e 13º salário”, disse o vice-presidente do Sindicato, Renato Bento Luiz.

“Nós queremos a derrubada da Emenda 3, assim como das reformas sindical, trabalhista e Previdenciária”, acrescentou Renato.