GM dá licença-remunerada a 900 e anuncia 1.600 demissões no Brasil

Nesta quinta-feira, a General Motors do Brasil anunciou que vai deixar mais de 900 operários em licença-remunerada até o dia 30 de março, todos do setor de produção. Desses, 600 encontram-se na unidade de são José dos Campos e 300 em São Caetano do Sul.

Junto com isso, a GM comunicou que vai simplesmente mandar embora 1.633 temporários de São Caetano que tiveram licença no mês passado e começam a retornar. Esses trabalhadores foram contratados para suprir o terceiro turno de trabalho que a empresa criou no ano passado e fechou em janeiro.

A justificativa é a crise. A empresa toma essas medidas ao mesmo tempo em que anuncia um prejuízo de US$ 30,9 bilhões em 2008, dos quais mais de US$ 9 bilhões foram no último trimestre.

No dia 19 de fevereiro, a GM anunciou que cortaria quase 50 mil empregos no mundo e afirmou que o Brasil não estava incluído nos cortes. Isso demonstra que não dá para confiar nos patrões e nem acreditar em nenhum acordo. Possivelmente, os operários que estão entrando em licença agora não retornarão no dia 30 de março, assim como os anteriores não voltarão.