Fortaleza: Capangas armados de construtora disparam 17 tiros contra operários

Repudiamos a violência contra os trabalhadores na Novaes Engenharia

Após o fim da greve da Construção Civil iniciada no dia 23 de julho, os operários da obra da construtora Novaes Engenharia permaneceram parados por conta do não pagamento de seus salários. Uma manifestação justa contra uma grande e rica construtora que deixa os operários sem receber o seu salário que é o mínimo para sobreviver.

Em resposta à manifestação dos operários, a construtora colocou capangas armados que dispararam 17 tiros contra os peões. Um verdadeiro atentado. Os capangas ainda foram defendidos pela polícia quando chegaram as viaturas.

Não é a primeira vez que a Novaes Engenharia usa esse tipo de método violento contra os trabalhadores. No ano passado a empresa já havia colocado capangas armados para impedir que o sindicato entrasse na obra.

Mas em ambos os casos a força dos operários foi maior e obrigou a empresa a retirar os capangas, mostrando que, mesmo com o fim da greve, os operários ainda estão fortes e com disposição de lutar.

Repudiamos a atitude autoritária da Novaes. Ao mesmo tempo saudamos a atitude dos operários da Novaes que não se intimidaram diante do ataque e que reagiram, mostrando que não vão aceitar ser intimidados por empresa ou por jagunço nenhum.