Fábricas também paralisam em São José dos Campos

Cerca de 2 mil manifestantes ocuparam a Dutra por 40 minutos nesta sextaO Dia Nacional Unificado de Lutas em São José dos Campos iniciou com passeatas, assembleias e greves em diferentes regiões da cidade e interditou a Rodovia Presidente Dutra na manhã desta sexta-feira.

A Conlutas e o Must (Movimento Urbano dos Sem-Teto) reuniram cerca de 2 mil moradores da ocupação de sem-teto do Pinheirinho, e saíram em marcha até a Rodovia Presidente Dutra, fechando a estrada por cerca de 40 minutos.

A data, definida pela Conlutas e pelas demais centrais sindicais e movimentos populares como um dia nacional de mobilizações, reúne diferentes categorias de trabalhadores em campanha salarial e em protesto contra os efeitos da crise econômica, as demissões e em defesa das reivindicações da classe trabalhadora. Os protestos também têm sido em defesa da quebra da patente do medicamento contra a gripe suína e pela saída do presidente do Senado, José Sarney.

Com faixas e bandeiras e até com um bonecão com uma máscara contra a gripe suína, os moradores do Pinheirinho caminharam cerca de três quilômetros até chegarem ao km 156 da Via Dutra, no trecho de São José dos Campos.

“A crise está afetando diretamente a classe trabalhadora e a camada mais pobre da população. Os empresários estão garantindo seus lucros à custa de demissões e aumento da exploração. Com essas mobilizações, queremos exigir que o governo Lula pare de dar dinheiro para os patrões e garanta os direitos da classe trabalhadora, com estabilidade no emprego e redução de jornada para 36 horas”, afirma o representante da Conlutas Adilson dos Santos, o Índio.

Greves nas Chácaras Reunidas
Também como parte da mobilização neste Dia Nacional Unificado de Lutas, trabalhadores metalúrgicos da Siber e Delbras, nas Chácaras Reunidas, entraram em greve na manhã desta sexta-feira para pressionar os patrões a negociar a PLR. Outras duas fábricas – Mirage e RF Com – fizeram paralisações de duas horas.

Na RF Com, os trabalhadores conseguiram pressionar a empresa a abrir negociação da PLR. Após a paralisação, a direção propôs uma PLR de R$ 400 – aprovada em seguida pelos metalúrgicos.

Aposentados e Conlutas fazem passeata
Cerca de 500 trabalhadores aposentados também saíram em passeata pelas ruas centrais de São José dos Campos por volta das 11h para protestar contra a política de arrocho dos benefícios previdenciários, adotada pelo governo federal. A manifestação foi organizada pela Associação Democrática dos Aposentados e Pensionistas (Admap) e pela Conlutas.

Os aposentados reuniram-se na Praça Afonso Pena, fechando a rua 15 de Novembro, o principal corredor comercial da cidade.