“O Senado é um mar de lama”, diz Zé Maria

Está chegando ao fim o ato unificado em São Paulo (SP). A manifestação parou em frente ao Masp, na Avenida Paulista.

Entre as cerca de 4 mil pessoas que participaram, estavam militantes e ativistas da Conlutas, Intersindical, MST, CUT, CTB e Força Sindical. Tmabém estavam representados os partidos políticos PSTU e PSOL.

De São José dos Campos (SP), vieram representantes da Ocupação Pinheirinho. Os demais moradores que ficaram em São José ocuparam a Rodovia Dutra esta manhã por 40 minutos.

Zé Maria, da coordenação nacional da Conlutas, condenou a isenção fiscal via redução do IPI e a postura do governo de salvar as empresas em vez de garantir estabilidade no emprego para os trabalhadores. “Lula deve baixar uma lei que impeça demissões dos trabalhadores e também deve parar de dar dinheiro aos banqueiros”, disse.

O sindicalista também falou sobre a crise do Senado. Para ele, a Casa é “um mar de lama que usa dinheiro público para enriquecer os senadores”. Ele defendeu a saída e a cassação do presidente do Senado, José Sarney, o fim do Senado e a criação de uma Câmara Única Legislativa.

Zé Maria falou, ainda, sobre a gripe suína. “É um crime a forma como o governo vem tratando a gripe suína”, opinou. O dirigente da conlutas defendeu a quebra da patente do Tamiflu, a distribuição gratuita do medicamento aos doentes e o aumento imediato das verbas para a saúde.

“A restrição de medicamentos ao povo só serve para favorecer os laboratórios multinacionais”, concluiu.