ENCONTROS REGIONAIS

Minas prepara conat em plenária

No dia 8 de março, foi realizada a Plenária Estadual da Conlutas de Minas Gerais.

Participaram do evento mais de 20 entidades sindicais, camponesas, estudantis e oposições sindicais. Na pauta das discussões estavam, além do debate sobre a situação política nacional, a campanha pela construção do Conat. Foi aprovada a realização das campanhas contra o pagamento das dívidas interna e externa, e pela anulação da reforma da Previdência, recolhendo assinaturas para o abaixo-assinado e divulgando os efeitos desta reforma para os trabalhadores, além da campanha pela valorização do salário mínimo.

A plenária reafirmou que a meta da Conlutas-MG de levar 800 delegados mineiros para o Conat, ou seja, a maior delegação do Congresso. Isso significa que as entidades presentes na plenária têm uma grande responsabilidade de garantir a presença de todos esses delegados. Nesse sentido, ficou decidido que cada região irá se organizar da melhor maneira possível para cumprir esse objetivo. Algumas regiões já estão tomando medidas concretas para levar os representantes.

Na região metropolitana de Belo Horizonte, por exemplo, onde a previsão é de 426 delegados, os ativistas da Conlutas estão buscando angariar recursos junto a entidades e aos trabalhadores para custear a ida dos delegados ao Conat.

Na região do Triângulo Mineiro, os companheiros estão tentando superar todas as dificuldades para garantir sua participação. Até mesmo um leilão de uma leitoa será realizado para juntar recursos. Além disso, os ativistas pretendem fazer uma cartilha da luta pela terra para vender aos sindicatos e arrecadar fundos.
A plenária resolveu também fazer uma ampla campanha de divulgação do Conat. Será impresso um jornal da Conlutas, com 100 mil exemplares, para divulgar o Conat e explicar à população na importância da construção de uma nova ferramenta de lutas.

ABC tem novo encontro

Emannuel Oliveira, de São Bernardo do Campo (SP)

No dia 19 de março foi realizado em Santo André (SP) o 2º Encontro da Conlutas do ABC paulista. Participaram do evento 87 pessoas, representando dois sindicatos (servidores de Santo André e Simpro), a Associação Oeste de moradores de Diadema e o MTL. Também estiveram presentes as oposições de metalúrgicos, dos professores de Mauá, dos petroleiros e da Apeoesp de São Bernardo do Campo, Diadema e Santo André. Fizeram parte as correntes do P-SOL, Corrente Operária, Praxis, Espaço Socialista e os partidos políticos PSTU e POM.

A pauta do encontro foi: conjuntura nacional; caráter e concepção da Conlutas; calendários de assembléias para eleger os delegados ao Conat.

No ponto de conjuntura foram aprovadas as campanhas da Conlutas. O segundo ponto foi marcado por várias diferenças sobre o caráter e a forma de organização da Conlutas. A Associação Oeste defendeu que a Conlutas tenha caráter soviético, enquanto o Sindicato dos Servidores de Santo André, parte da oposição metalúrgica e Oposição Alternativa / Apeoesp defenderam a Conlutas como uma organização que unifique as lutas contra o governo, abarcando o movimento sindical, os movimentos sociais e as entidades estudantis.

Sobre o Conat, Sílvia, da Oposição Alternativa e do PSTU, defendeu que o financiamento das taxas dos delegados deve vir de campanhas realizadas pelos próprios trabalhadores.

Post author Da redação
Publication Date