Em São José dos Campos, metalúrgicos das montadoras aprovam reajuste de 11%

Os trabalhadores da General Motors, em São José dos Campos (SP), aprovaram, na manhã desta segunda-feira (8), a proposta de reajuste salarial apresentada pelas montadoras, de 11,01% (7,15% de inflação + 3,6% de aumento real). O reajuste é resultado de um forte processo de mobilização deflagrado pelos Sindicatos dos Metalúrgicos de São José dos Campos, Campinas, Limeira e Santos.

A última rodada de negociação terminou às 4h da manhã de sábado, após uma semana intensa de negociações. Além do reajuste, os metalúrgicos também conquistaram um abono único de R$1.450 (a ser pago em 22 de setembro para todos os trabalhadores) e piso salarial de R$1.250 – o que representa um reajuste de 12,6%.

Para quem recebe acima de R$7.500, o reajuste será de 7,15% (inflação) mais parcela fixa de R$289,30.

As negociações com as montadoras chegam ao fim após muita luta dos trabalhadores. Nas rodadas de negociação iniciais, o Sinfavea (patronal) oferecia apenas 0,5% de aumento real e redução do piso salarial.

Embora a proposta final não tenha atingido os 18,83% reivindicados pela categoria, o Sindicato considera ter sido uma importante conquista. “A unificação da campanha e a mobilização em massa dos trabalhadores foram fatores fundamentais para o avanço nas negociações. Acreditamos que esse índice poderia ter sido melhor se sindicatos de outras regiões, como do ABC, também tivessem se mobilizado. Mas isto não aconteceu”, afirma o diretor José Mendonça.

O índice fechado com as montadoras servirá de parâmetro para negociação com empresas de outros grupos metalúrgicos. Nesta segunda-feira (8), às 14h, acontece uma nova rodada de negociação com o grupo de autopeças. Durante toda a semana, permanecem as mobilizações nas fábricas da região.