Celia Hart morre em Cuba

Celia Hart participando do Conat em 2006
Agência Cromaoto

Celia Hart Santamaría, 45 anos, morreu no último domingo, 7 de setembro, vítima de um acidente de carro em Cuba. O acidente também vitimou seu irmão, Abel Hart Santamaría.

Célia era uma conhecida intelectual cubana que declarou inúmeras vezes a sua referência teórica nas obras de Leon Trotsky. O contato com as obras de Trotsky ocorreu depois que Célia completou seus estudos em Física na Alemanha Oriental e percebeu a contradição de uma sociedade supostamente socialista com os privilégios da burocracia estatal.

Celia Hart também era de uma família de veteranos revolucionários cubanos que lutaram contra a ditadura de Fugêncio Batista, junto com o Movimento 26 de Julho. Sua mãe, Haydée Santamaría participou junto a Fidel Castro no conhecido assalto ao Quartel de la Moncada, em 1953, onde perdeu seu irmão e noivo. Seu pai, Armando Hart, foi um professor universitário que lutou contra a ditadura e, nos primeiros anos da revolução, foi o primeiro Ministro de Educação de Cuba.

Em maio de 2006, Celia Hart participou do Congresso Nacional dos Trabalhadores, o Conat, que fundou a Conlutas. Sobre a recém-fundada entidade, ela declarou: “tenho fé em que esta organização classista venha a ser uma referência para a América Latina”.

  • Leia a entrevista de Celia Hart ao Portal do PSTU