PSTU Recife (PE)

Em Recife (PE), a campanha da candidatura de Cláudia Ribeiro à prefeitura da capital pernambucana tem sido marcada pela denúncia aos ataques dos grandes empresários e ricos da cidade contra a classe trabalhadora e pelo chamado à organização uma alternativa socialista, apoiada Conselhos Populares.

“A nossa candidatura tem usado os poucos espaços de entrevista nas TV’s e rádios para denunciar a decadência e o aumento da desigualdade social em Recife nos últimos 25 anos. O que temos visto é apenas uma dança das cadeiras entre os partidos, mas o projeto de todos os candidatos a prefeito é o mesmo, governar para um punhado de ricos e jogar o preço da crise econômica e da crise sanitária nas costas da classe trabalhadora”, afirma Cláudia.

Construção civil e bairros operários

Nos canteiros de obra da construção civil e nos bairros operários, ondemos o PSTU está realizando campanha, como Brasília Teimosa, Ipsep e Afogados, a candidatura de Claudia e dos vereadores têm tido boa aceitação.

“Com a nossa defesa de um plano de obras públicas para gerar emprego e resolver os problemas mais sentidos da cidade, como a universalização do saneamento, a construção de moradia populares, creches e mais postos de saúde e hospitais, a classe trabalhadora e a população negra e pobre tem vista uma alternativa socialista que diz que quem deve pagar pela crise são os grandes empresários, multinacionais e os ricos de Recife. E mais: tudo isso vai se dar governando com os de baixo, com o povo através dos Conselhos Populares, que vai decidir sobre a aplicação de 100% do orçamento municipal”, destaca Cláudia.

Lutas

A candidata do PSTU é única que desde o início da campanha colocou sua voz a serviço da luta dos rodoviários contra a demissão de mais de 3 mil trabalhadores e a dupla função que vai sobrecarregar o motorista e colocar em risco a vida da população. Como professora e dirigente licenciada do Sindicato dos professores da Rede Municipal do Recife, Cláudia Ribeiro sabe que é política genocida a reabertura das escolas promovida pelo governo estadual Paulo Câmara (PSB/PCdoB/PT). “Essa política é igual à do governo Bolsonaro e que vai levar para o matadouro trabalhadores da educação, adolescentes e seus familiares”, destaca.

Por expressar essas lutas, Claudia está sempre pontuando na pesquisa Ibope, mesmo com a medida antidemocrática de não ter tempo de TV e rádio no programa eleitoral. “Isso mostra que nosso programa tem força entre os que lutam, principalmente, entre os professores municipais e rodoviários, que conhecem a trajetória de luta do nosso partido em Recife”, diz.

Alternativa socialista

“Nossa campanha tem dito que é preciso derrota o sistema capitalista que tem dados mostrar que é uma ameaça à vida humana e à natureza:  são mais de 155 mil mortos no Brasil. Para isso, nosso programa emergencial é voltado para as principais necessidades do povo. Defendemos a fila única para hospitais públicos e privados, a incorporação ao SUS e estatização de toda rede privada médico-hospitalar para que a saúde seja um direito e não uma mercadoria”, pontua Cláudia.

Por apresentar um programa revolucionário e socialistas, Cláudia sempre questionada pela grande imprensa. “Você e o PSTU não tem medo da sua posição” perguntou o entrevistador da Rádio Folha de Pernambuco , após a candidata do PSTU ter defendido a necessidade de colocar pra fora Bolsonaro e Mourão e por denunciar os candidatos que apoiam esse governo genocida. Os apoiadores de Bolsonaro que vão desde a ultradireita com PSL e PSC, até o Democrata Mendonça Filho e a Delegada Patrícia do Podemos, que posa de paladina da luta contra corrupção, mas também apoia o governo corrupto de Bolsonaro e sua politica de destruição dos direitos dos trabalhadores.

Diferente de João Campos do PSB e de Marília Arraes PT, respectivamente apoiados por PCdoB e PSOL, Claudia Ribeiro diz que “não existe parceria entre trabalhador e patrão. O patrão, para ter o lucro, oprime e explora até a última gota de sangue o trabalhador. Não é possível conciliar os interesses dos grandes empresários, empreiteiras, multinacionais e os ricos com o povo pobre e trabalhadores. PSB e PT brigam nas eleições, mas já governam a cidade do Recife por 20 anos. Hoje, temos 150 mil desempregados, 75 mil o déficit habitacional, 54% não tem tratamento de esgoto, sem falar na falta de saúde e educação de qualidades”, denuncia a candidata do PSTU.

Cláudia Ribeiro diz que são 11 candidatos, mas apenas dois projetos em jogo. “Um projeto de defesa do capitalismo e dos ricos que vai da ultradireita bolsonarista até o projeto de conciliação de classes e gestão eficiente do capitalismo do PSB, PCdoB, PT e PSOL. O outro projeto é o nosso, voltado à classe trabalhadora, aos de baixo, à mulheres trabalhadoras, ao povo negro e às LGBTs. Uma alternativa socialista e revolucionária, que defende colocar nas mãos da população trabalhadora de Recife a riqueza e a administração da cidade através dos Conselhos Populares”, finaliza.