Dia 28 de abril é dia nacional de mobilização em todos os estados

Na quinta-feira (28) acontece o dia Nacional de Mobilização nos estados. A atividade convocada pela CSP-Conlutas e diversas entidades é parte do calendário de lutas dos servidores públicos federais, em campanha salarial, mas também envolverá diversas categorias de trabalhadores, como os operários da construção civil, metalúrgicos entre outros. Isto porque a data também será um momento de resistência às medidas que vêm sendo anunciadas pelo governo Dilma.

A mobilização pretende denunciar as políticas do governo Dilma. Entre elas, o reajuste dos salários dos parlamentares, o arrocho ao salário mínimo, o corte de R$ 50 bilhões no orçamento, o rebaixado ajuste da tabela do Imposto de Renda, as demissões em Jirau e o ataque aos movimentos sociais.

Dia 28 de abril também é lembrado como Dia Internacional em Memória às Vitimas de Acidentes e Doenças de Trabalho, por isso as atividades denunciarão as péssimas condições de trabalho em diversos segmentos. Haverá paralisações e atos no INSS em várias partes do país. Anexo manifesto sobre Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.

Informes já chegaram à CSP-Conlutas mostrando a movimentação nos Estados. Os atos unificados estão sendo articulados pelas estaduais e regionais da CSP-Conlutas com sindicatos, entidades do movimento popular e outras centrais sindicais. Muitas categorias estão aprovando a participação neste dia de luta, além disso, estão previstos a deflagração de greve ou paralisações de trabalhadores.

Alguns informes enviados sobre as atividades nos estados

São Paulo: O Sinpeem aprovou paralisação com um ato no centro da cidade em frente à Secretaria Municipal de Educação, na rua Libero Badaró, às 13 horas. Outras categorias, como judiciários, servidores federais e metroviários se integram a essa atividade, além de promover atividades em suas bases. Haverá também uma passeata até a Praça da Sé.

São José dos Campos (SP): Paralisação dos trabalhadores da General Motors. Programada uma passeata envolvendo os metalúrgicos, os trabalhadores dos Correios, os aposentados e os trabalhadores do Pinheirinho, às 9h com saída na Igreja São Judas Tadeu, no Jardim Paulista e atos no INSS.

Rio de Janeiro: Está indicada a realização de uma passeata (Candelária/Cinelândia) na parte da tarde. Até o momento foi aprovada paralisação na base do Sindpfaetec. O SEPE realiza manifestação na Assembléia Legislativa e na Secretaria Estadual de Educação e ainda haverá assembléia da rede municipal que debaterá a possibilidade de paralisação.

Minas Gerais:Em Belo Horizonte haverá o ato unificado com as centrais, contra a alta programada. O ato denunciará também os acidentes do trabalho e contará com a participação dos metalúrgicos e de diversas categorias. A atividade começa às 8h com concentração na Praça Sete. Às 10h ocorrerá uma audiência com representantes das centrais, na sede da Superintendência Nacional da Previdência Social em BH, com a possibilidade de que um documento comum seja protocolado. Haverá ainda manifestação dos professores em frente à Câmara Municipal.

Congonhas (MG) – Haverá protesto na porta da CSN – com a presença do Sindicato dos Trabalhadores da Vale do Canadá.

Bahia: Os professores municipais de Lauro de Freitas realizarão paralisação por 24 horas no dia 28 de abril. A ASPROLF irá realizar um ato na frente da prefeitura, às 14h. Os servidores municipais de Alagoinhas também irão parar por 24 horas.

A ANEL (Assembleia Nacional de Estudantes-livre) também fará panfletagem nos campi da UFBA e UNEB. Haverá ato das quatro associações das universidades estaduais (ADUNEB, ADUFS, ADUSB e ADUSC), que estão em greve, às 14h, na Praça do Campo Grande, em Salvador.

O Sinpa irá realizar um ato na frente da prefeitura de Alagoinhas, às 10h e depois uma passeata no centro da cidade.

Ceará: Os trabalhadores da construção civil, que aprovaram greve para o dia 18, farão atividades no dia de luta contra os acidentes de trabalho. Os rodoviários debaterão em assembléia a realização de uma paralisação. Professores iniciam greve no dia 27/04. Servidores municipais do Vale do Jaguaribe aprovaram participar do dia 28. Está sendo articulado para que haja um ato unificado neste dia.

Paraíba: Está sendo organizado um ato em Campina Grande. Estão sendo convidados a participar trabalhadores, estudantes e movimentos populares, nas atividades específicas e gerais que estão sendo preparadas. Os servidores municipais de Bayeux aprovaram em assembléia a adesão ao dia nacional de luta.

Maranhão – Possibilidade de paralisação de diversas categorias, inclusive do judiciário; mobilização nas escolas de ensino médio em greve e do COLUN; manifestação dos bancários em frente ao Banco Itaú; mobilização dos estudantes da ANEL na UFMA. Os protestos, além de outras bandeiras, vão denunciar a corrupção e os desmandos da oligarquia Sarney e do prefeito João Castelo. Umas das consignas: “São Luís parou em 51 contra Vitorino; em 79 pela meia passagem e vai parar dia 28/04 contra a oligarquia Sarney. Fora Roseana Sarney.”

Pará – Além da construção civil, educação estadual e municipal, Funpapa e Basa, foi aprovada a paralisação na Eletronorte em Belém e em Tucurui. O Comitê Xingu Vivo aceitou o chamado e vai se incorporar à manifestação. O dia de luta será contras os ataques do governo Dilma, Jatene e Duciomar.

Rio Grande do Sul – O Sindicato dos Profissionais de Educação do Estado (CPERS) organizará protestos encabeçando o dia de luta no Estado.

Santa Catarina: Os professores do Estado farão manifestações neste dia.
No dia 28 de abril vamos levantar bem alto as nossas bandeiras por:

– Redução e congelamento dos preços;
– Aumento geral dos salários e das aposentadorias;
– Direitos sociais e trabalhistas;
– Melhores condições de trabalho;
– Valorização dos serviços e dos servidores públicos;
– Transporte público, de qualidade e não aumento das tarifas;
– Moradia digna para os trabalhadores;
– Não ao pagamento da dívida pública.