Cyro: “Fim da repressão policial ao povo pobre”

Cyro Garcia, 16.123
Arquivo

Conheça as candidaturas de luta e socialista do PSTUEm época de eleições, propostas mágicas para solucionar o problema da violência sempre voltam à cena. Os partidos de direita são os primeiros a propor uma legislação mais repressiva, mais polícia nas ruas, diminuição da maioridade penal e até pena de morte. Mas a verdade é que essas propostas só aumentam a violência e não combatem as verdadeiras causas da criminalidade.

Lula apóia a atual política de segurança pública de extermínio adotada pelo governo de Sérgio Cabral (PMDB). O governo federal manda o exército ocupar as comunidades carentes, como no caso do morro da Providência, para promover obras eleitoreiras do candidato Marcelo Crivela, apoiado por Lula.

Tal política já provocou a morte de centenas de pessoas. A maioria é de jovens e crianças negras das comunidades carentes. Mas a população das comunidades está se mobilizando e exigindo a retirada das tropas. Fora tropas do Exército e da Força Nacional de Segurança das comunidades carentes! Fim da repressão policial ao povo pobre das favelas!

Fome, miséria e o Estado são os responsáveis pela criminalidade e a violência no Brasil. É preciso encarar de frente a questão da miséria para acabar com a criminalidade.

É preciso acabar com a política econômica atual, que aumenta os lucros dos banqueiros e das multinacionais, para assegurar empregos e salários justos. Uma sociedade onde milhares de excluídos são jogados no desemprego, enquanto as elites vivem na impunidade da corrupção, não tem a menor capacidade de acabar com a criminalidade.

Por isso, a primeira medida para acabar com a criminalidade é a ruptura com FMI e o fim do pagamento da dívida. Dessa forma, poderemos utilizar o dinheiro da dívida para investimentos em programas sociais, na geração de empregos, na construção de escolas e hospitais.

O atual aparato policial não serve para combater a violência e a criminalidade. É apenas um instrumento que reprime a população pobre do país. Por isso, defendemos o fim e a destruição de todo o atual aparato policial, como as Polícias Militar e Civil. A Guarda Municipal também deve acabar e seus trabalhadores devem ser incorporados em outras funções do serviço púbico.

Ao invés da atual polícia repressora, o PSTU defende a criação de uma nova polícia Civil Unificada e Democrática. Sua função deve ser a de proteger a integridade física e os bens dos trabalhadores. Essa polícia deve ser democrática, com eleição dos superiores, direito à sindicalização e à realização de greves em defesa de suas reivindicações. Delegados, promotores e juízes devem ser eleitos pela comunidade.

Também defendemos o fim da perseguição aos camelôs. Os trabalhadores ambulantes devem ter a regulamentação do direito ao trabalho.
Post author Cyro Garcia, 16.123, candidato a vereador do Rio de Janeiro (Frente PSTU-PSOL)
Publication Date