Travesso: “Contra a inflação, reposição automática já”

Dirceu Travesso, o Didi, 16016
Arquivo

Conheça as candidaturas de luta do PSTU“As primeiras conseqüências da crise econômica internacional já começam a afetar a vida dos trabalhadores brasileiros. A inflação não pára de crescer. O preço dos alimentos está nas alturas. É preciso que os trabalhadores sejam alertados de que a crise vai piorar. A inflação vai crescer e já está no horizonte uma nova recessão.
A inflação é conseqüência do atual modelo econômico empunhado tanto pelo PT quanto pelo PSDB. Com a aplicação do neoliberalismo, a economia do país se tornou ainda mais dependente do imperialismo norte-americano. Agora está trazendo para o país a inflação e a recessão, que já avança nos EUA.

Para os trabalhadores a inflação tem uma conseqüência grave, pois é um mecanismo de confisco de parte dos salários em favor do lucro dos patrões. Os patrões podem reajustar os preços todos os dias e nós trabalhadores só conseguimos reajustar os salários, quando muito, a cada ano.

O pior de tudo isso é que a inflação e a alta do preço dos alimentos pesam mais no bolso do trabalhador de baixa renda. Esses trabalhadores destinam uma parte maior do que ganham para garantir a comida, deixando outras despesas de lado. Uma pesquisa do Dieese realizada em São Paulo mostra que a inflação geral é de 5,82% nos últimos doze meses. No entanto para as famílias mais pobres, com renda mensal de um a três salários mínimos, a inflação real foi de 7,83%, pelo aumentos dos alimentos. Enquanto isso, as famílias mais abastadas, com renda média mensal de R$ 2.792, tiveram uma inflação geral de 4,99% no período.

A única forma de diminuir as perdas dos trabalhadores com a inflação é a adoção de um mecanismo de reposição automática, como o gatilho, para os salários e aposentadorias. Atualmente, as correções da variação inflacionária são anuais, o que é absolutamente insuficiente diante de uma inflação galopante.

O governo do PT, o PSDB, a grande imprensa e até as centrais governistas, CUT e Força Sindical, vão dizer que a reposição automática vai aumentar ainda mais a inflação. Isso é uma grande mentira. O reajuste apenas repõe ao salário o valor que ele tinha antes de ser corroído pela inflação.

Na campanha eleitoral vamos defender a diminuição imediata dos preços. É preciso congelar os preços dos alimentos, aluguéis, do gás e dos combustíveis. É preciso exigir o rompimento com o FMI para garantir um aumento emergencial de 100% no salário-mínimo. Desta forma, defendemos aumentos sucessivos no salário mínimo para atingir o piso do Dieese”.
Post author Dirceu Travesso, o “Didi”, 16016, candidato a vereador em São Paulo
Publication Date