Contra a política econômica de arrocho e inflação

O primeiro desafio para os que defendem a causa do socialismo no país é ajudar a unificar as lutas. A proposta de unificação das lutas da CSP-Conlutas é organizar uma jornada em uma semana de agosto (entre os dias17 a 24), que será coroada com uma manifestação em Brasília no dia 24. Pode ser a primeira grande mobilização nacional contra o governo Dilma.

Por outro lado, é preciso politizar essas lutas, e transformar essa insatisfação espalhada em consciência dos trabalhadores contra o governo federal. É preciso explicar pacientemente aos trabalhadores que a política econômica de Dilma favorece os banqueiros e as multinacionais.

A economia está crescendo, mas a serviço de quem? O governo quer combater a inflação aumentando os juros e reduzindo os salários. Assim, favorece mais uma vez os lucros dos banqueiros e da grande burguesia. Nós queremos combater a inflação defendendo os salários dos trabalhadores.

Defendemos um plano contra a inflação que inclui aumentos salariais para os trabalhadores e a adoção de um gatilho (reajuste salarial automático). Junto com isso, exigimos a redução e o congelamento dos preços, tarifas e aluguéis.

Além disso, queremos a estatização dos bancos para reduzir fortemente a taxa dos juros para 8% ao ano (a mesma paga pelas grandes empresas ao BNDES).

Isso inclui o fim do pagamento das dívidas para destinar esse dinheiro aos serviços públicos (educação, saúde e transporte). Neste ano, metade do orçamento federal será destinado a pagar as parcelas e juros da dívida aos banqueiros, enquanto os salários do funcionalismo estão congelados, e a educação e a saúde pública caem aos pedaços.

  • Contra a política econômica de arrocho salarial do governo! Exigimos de Dilma um plano econômico a serviço dos trabalhadores!
  • Aumentos salariais para os trabalhadores! Reajuste salarial automático toda vez que a inflação chegar a 3%!
  • Redução e congelamento de preços, tarifas e aluguéis!
  • Não pagar a dívida pública interna e externa para ter 10% do PIB para educação, e 6% do PIB para a saúde. Aumentos salariais para o funcionalismo! Contra os cortes de verbas sociais do orçamento.
  • Estatização do sistema financeiro para reduzir os juros e investir em projetos de interesse popular.
  • Redução da jornada de trabalho para 36 horas sem redução salarial!
  • Contra todas as formas de opressão às mulheres, aos negros e homossexuais!
  • O minério é nosso! Aumento imediato dos royalties para 10% do faturamento bruto das empresas!
  • Contra a privatização dos aeroportos! Reestatização das estatais, começando pela Vale, CSN e Embraer!
  • Contra a reforma do Código Florestal!
  • Contra a criminalização do movimento social! Em defesa do direito de lutar!
  • Apuração e punição imediata dos assassinatos dos dirigentes dos trabalhadores rurais!
  • Direito de sindicalização para os militares! Pela desmilitarização de todas as polícias! Pelo fim das polícias militares e civis atuais e formação de uma nova polícia com seus dirigentes eleitos pela população!
  • Prisão e expropriação dos bens dos corruptos e corruptores!
  • Dilma governa para os banqueiros e multinacionais. Por um governo socialista dos trabalhadores!
    Post author
    Publication Date