Conlutas divulga nota de apoio ao povo boliviano

Publicamos, abaixo, a íntegra da nota de apoio da Conlutas ao povo boliviano, contra a ação de bandos fascistas na Meia Lua e contra a política a conciliação com esses setores da ultradireitaUrgente: todo apoio à luta do povo boliviano contra a ultradireita

O tema internacional de maior destaque da reunião da Coordenação Nacional da Conlutas, realizada nos dias 13 e 14 no Rio de Janeiro, foi a Bolívia. Os delegados e delegados aprovaram, por unanimidade, uma moção e a realização de uma campanha nacional urgente, que denuncie a direita boliviana e apóie a luta dos trabalhadores.

Os quatro departamentos (estados) conhecidos como Meia Lua (Santa Cruz, Tarija, Beni e Pando), governados pela direita boliviana, estão sob a atuação dos Comitês Cívicos, que nada mais são do que grupos armados financiados por essa direita.

Os comitês tomaram as ruas, fizeram barricadas nas fronteiras, ocuparam e explodiram instalações de gás e gasodutos. Estão aterrorizando dirigentes sindicais e populares e já assassinaram 14 camponeses e deixaram dezenas de feridos.

A ultradireita boliviana quer impor uma derrota ao governo de Evo Morales e garantir o poder nos departamentos que governa, além de impor o controle sobre o restante do país.

A causa de toda essa violência é o referendo marcado pelo governo sobre o projeto da nova Constituição aprovado pela Assembléia Constituinte. O projeto não dá autonomia aos departamentos como reivindica a direita, uma direita fascista cujos ataques são direcionados aos movimentos sindical, camponês, indígena e popular.

Esse setor de direita tem como principal interesse se apoderar das riquezas do país para vendê-las ao imperialismo e aos países vizinhos como o Brasil. Não é à toa que tem o apoio direto da Embaixada norte-americana. Dessa maneira, além de controlar as reservas de gás natural da Bolívia, o imperialismo, via seus aliados, conseguiria derrotar o processo revolucionário no país.

Portanto, o governo Evo Morales não pode imprimir ações de conciliação com esse setor. Cada conciliação trará o fortalecimento da direita e enfraquecimento do governo. Evo Morales precisa se apoiar nas massas bolivianas contra esse setor da burguesia. Para isso, não pode reprimir as lutas dos trabalhadores, como fez com os mineiros de Huanuni.

É necessário garantir a soberania das instalações das reservas de gás natural, patrimônio do povo boliviano. Fim imediato das ocupações. Prisão aos assassinos dos camponeses.

Todo apoio à COB (Central Operária Boliviana) que está à frente das lutas e convocou uma marcha para esta terça-feira, dia 16, e está exigindo do governo que apure as responsabilidades e mande prender os prefeitos da região de Meia Lua e os dirigentes dos Comitês Cívicos.

É necessário que a COB chame a unidade imediata dos trabalhadores, dos camponeses, dos indígenas e populares para defender a soberania do povo boliviano contra os ataques da direita imperialista daquele país.

A Conlutas manifesta todo o seu apoio à luta do povo boliviano. Esta luta é nossa também!