Avaliação do governo Lula sofre queda

Pesquisa realizada pelo Ibope, sob encomenda da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada dia 12 de abril, mostra uma queda da avaliação do governo Lula em comparação com a pesquisa realizada em dezembro de 2006.

Segundo a pesquisa, a avaliação de “ótimo/bom” do governo caiu 8 pontos, passando de 57% em dezembro para 49%. Já a porcentagem dos que consideram a gestão Lula “ruim/péssimo” passou em poucos meses de 13% para 16%. Mesmo o governo estando ancorado pela imagem pessoal de Lula, a avaliação do presidente também sofreu queda. A aprovação de Lula caiu de 71% para 65%. Sua desaprovação cresceu de 23% para 29%.

Além disso, subiu também a desconfiança com Lula. Dos entrevistados, 34% declararam não confiar no presidente, contra 28% em dezembro. A pesquisa do Ibope, que conta com margem de erro de 2 pontos, entrevistou 2.002 pessoas entre os dias 28 de março e 2 de abril, em 140 municípios.

PAC não melhora imagem
Os resultados mostram que, mesmo com a massiva propaganda enganosa em torno do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), o governo não conseguiu melhorar sua imagem ante a opinião pública. O Programa foi lançado no final de janeiro prometendo impulsionar o crescimento econômico no país. No entanto, as únicas medidas que traz são ataques aos trabalhadores, como a reforma da Previdência e o desvio do FGTS para obras que beneficiam empresários, usineiros e latifundiários.

Mesmo ainda não estando aprovado pelo Congresso, o governo não quis perder tempo e lançou, no último dia 1 de abril, uma campanha sobre os supostos benefícios do PAC. Com um orçamento de quase R$ 8 milhões, a campanha inclui inserções em TV e rádio.

Porém, pesquisa divulgada dia 10 de abril pela CNT/Sensus mostra que quase 60% da população não havia sequer ouvido falar sobre o Programa. Dos que ouviram, 32%, apenas metade acreditam que ele vá fazer crescer a economia.