Alagoas grita Fora Bush e Téo Vilela

Os servidores da educação de Alagoas, reunidos em assembléia na última segunda-feira deliberaram a continuidade da greve que já dura dois meses. O governador Téo Vilela (PSDB) teve como um dos primeiros atos de sua gestão não pagar a isonomia dos professores, conquistada com luta no ano passado, alegando que se pagasse estaria indo de encontro à Lei de Responsabilidade Fiscal. Diante do fortalecimento da greve, o governo recorreu à Justiça, que determinou como ilegal a greve dos servidores. Revoltados, numa assembléia com mais de 2000 pessoas, a maioria mulheres trabalhadoras, ouvia-se o “fora Téo”.

O MST, como forma de solidariedade à greve, trouxe 2.000 trabalhadores à capital e realizaram o “enterro” do governador. Desde a última segunda-feira, o movimento encontra-se acampado em frente ao Palácio do Governo.

Sindicato dirigido pelo PT quer acordo rebaixado
O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Alagoas (Sinteal), dirigido pela Democracia Socialista, corrente interna do PT, já declarou que está aberta a negociações, inclusive à flexibilização do pagamento da isonomia. O governo acenou com 40% e não se compromete a pagar o restante porque burlaria a LRF. A direção do sindicato disse que só aceitaria a proposta se o governo apresentasse uma data do pagamento para os outros 60%.

Os trabalhadores, que vêm resistindo à campanha caluniosa do governo do PSDB na Radio e na TV, não querem negociar e exigem o pagamento já dos 100% de isonomia.

Fora Bush e Téo!
Nesta quinta-feira, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, acontecerá um ato envolvendo trabalhadores da educação, do movimento de luta pela terra, estudantes e demais trabalhadores, exigindo “fora Bush” e “fora Téo Vilela do governo”. A concentração será à 14h, próximo à Igreja do Livramento. São esperadas mais de 5.000 pessoas.

O PT, na direção do Sinteal, tem assumido a luta não por uma medida consciente, mas pela pressão da base que exige nada menos que os 100% conquistados com muita luta e vêem o governo tucano como seu principal carrasco.