Acordo para suspensão de demissões na GM é estendido

Mancha, Macapá e Toninho na coletiva de Imprensa

Proposta será levada para votação em assembleia, na próxima segunda-feira, dia 15.O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e a General Motors chegaram, nesta quinta-feira, dia 11, a uma proposta que estende até 26 de janeiro de 2013 o acordo de suspensão do plano de demissão em massa na montadora. A proposta será levada para votação em assembleia dos trabalhadores, na próxima segunda-feira, dia 15, na porta da GM, às 5h30.

A proposta prevê a prorrogação do período de layoff (suspensão temporária do contrato de trabalho), que a princípio terminaria no dia 30 de novembro.

Todos que estão em layoff terão direito a 13º salário, PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e o reajuste de 8,24% conquistado na Campanha Salarial deste ano.

A empresa planeja demitir 1.840 trabalhadores. Deste total, 232 já aderiram ao Programa de Demissão Voluntária (PDV) e 824 estão em layoff. O PDV continua em aberto até o dia 30 de outubro e prevê benefícios de um a oito salários, de acordo com o tempo de trabalho.

O novo acordo também prevê a continuidade da produção do veículo Classic, no setor MVA (Montagem de Veículos Automotores), até 26 de janeiro, e não mais até 30 de novembro, como estava previsto anteriormente.

O Sindicato e a GM têm mantido negociações desde agosto, e durante todo esse período a empresa continuou com a decisão de demitir os 1.840 trabalhadores, flexibilizar direitos e transferir a produção do Classic para a Argentina. Em nenhum momento a empresa garantiu a manutenção dos postos de trabalho, mesmo se forem retirados direitos já existentes.

Agora, empresa e Sindicato têm até 25 de janeiro para concluírem as negociações. Até lá, os trabalhadores irão manter uma agenda de mobilizações para pressionar governo e empresa a tomarem medidas que cancelem definitivamente as demissões e que novos investimentos sejam feitos na fábrica de São José dos Campos.

Audiência Pública no Senado
Na próxima terça-feira, dia 16, cerca de 120 trabalhadores e dirigentes sindicais estarão em Brasília para participar de uma audiência pública no Senado, em que o tema central será a situação dos funcionários da GM. Três ônibus devem sair de São José dos Campos, na segunda-feira, às 13h.

“Vamos perguntar para os senadores se eles acham justo que a GM, beneficiada por incentivos fiscais com dinheiro público, demita em São José para transferir a produção do Classic para a Argentina e, depois, importar esse mesmo carro”, disse o presidente do Sindicato, Antonio Ferreira de Barros, o Macapá.

O Sindicato também pretende organizar uma manifestação no Salão Internacional do Automóvel, que acontece em São Paulo, entre os dias 24 de outubro de 4 de novembro.

“Este novo período que conseguimos vai nos dar mais fôlego para organizarmos as mobilizações e tentar reverter definitivamente os planos da GM. Esta é, sem dúvida, uma boa notícia para a cidade. Queremos chegar ao fim das negociações com todos os trabalhadores de volta à fábrica e a garantia de novos investimentos”, conclui Macapá.