Voto útil é o voto socialista

No dia 5, vote 16
Carol Rodrigues

Estamos na reta final das eleições municipais. É normal que, a essa altura da campanha, muitas pessoas que concordam com o programa e as candidaturas do PSTU hesitem em votar em candidatos que, em geral, não estão nos primeiros lugares das pesquisas de intenção de voto.

A pressão das candidaturas da burguesia e da grande mídia é para que as pessoas votem nos mesmos políticos de sempre. Mesmo a campanha pelo voto do TSE tem esse sentido. É a seqüência de uma campanha eleitoral antidemocrática em que os candidatos da burguesia contam com amplos recursos e a conivência da imprensa e da Justiça.

Isso leva as pessoas a escolherem seus candidatos entre um concorrente do governo ou da oposição de direita, os que aparecem com possibilidades de ganhar. É o que se chama de voto útil, ou seja, o voto no candidato que pode ganhar.

Diante disso, qual é a importância de votar nas candidaturas que se colocam no campo da classe trabalhadora? Para que serve votar num candidato de luta, socialista, se ele não tem tempo de TV nem recursos financeiros e não está nos primeiros lugares? Por que, enfim, votar no PSTU?

Voto útil é votar num trabalhador como você
As candidaturas do PSTU estão inteiramente a serviço dos interesses dos trabalhadores. Ao contrário dos outros partidos, nossos candidatos não são políticos profissionais, mas trabalhadores bancários, carteiros, professores, metalúrgicos e estudantes, ou seja, ativistas já conhecidos nas lutas sindicais das categorias.

Qual é a utilidade de votar num candidato que vai desaparecer assim que for eleito? Esses políticos dos partidos burgueses e do PT só aparecem nas eleições e depois desaparecem.

É preciso, ao contrário, colocar nas Câmaras Municipais trabalhadores que utilizem a tribuna parlamentar para defender as mesmas idéias que você defende, como o aumento geral dos salários e a reposição automática de acordo com a inflação.

É preciso eleger vereadores que estejam junto aos trabalhadores durante as greves.

É útil votar em quem quer se arrumar?
A maior parte dos partidos e candidatos quer utilizar os mandatos de vereadores para se arrumar na vida, ganhando altos salários e participando das manobras da corrupção. Nunca estão a favor de acabar com os privilégios e altos salários para os prefeitos e vereadores.

Por isso, faça um teste. Pergunte ao candidato o que vai fazer com o dinheiro do mandato. O PSTU defende que os parlamentares e prefeitos tenham salários iguais aos de um operário qualificado e que tenham abolidos seus sigilos bancários. Junto com isso, que os corruptos e corruptores sejam presos e tenham seus bens confiscados.

Voto útil é o mal menor?
Em grande parte dos municípios, PT e os demais partidos da base do governo polarizam eleitoralmente com os candidatos da oposição de direita, como PSDB e DEM. Diante dessa situação, muitos trabalhadores pensam se não é melhor escolher um mal menor para evitar a possibilidade do avanço da direita na prefeitura de sua cidade.

Trata-se, porém, de um falso dilema. Tanto PT quanto PSDB representam hoje a mesma política de destruição de serviços públicos através da Lei de Responsabilidade Fiscal, de terceirizações e toda a política que sustenta o neoliberalismo no país. A LRF, por exemplo, foi aprovada pelo governo FHC e mantida por Lula. Prevê um arrocho nas contas públicas e prioriza o pagamento da dívida pública contra investimentos na saúde e educação.

As prefeituras do PT, por exemplo, foram pioneiras nos processos de privatizações. Em Ribeirão Preto (SP), o então prefeito Antonio Palocci, eleito em 1992, abriu o capital da telefônica da cidade, a Ceterp, iniciando sua privatização. Mais recentemente, em Guarulhos (SP), a prefeitura do PT terceirizou a saúde pública. Porto Alegre conviveu por anos com uma prefeitura petista, aplicando a mesma política de antes.

Agora, diante do anúncio de uma grave crise econômica, tanto os candidatos do governo quanto os da oposição de direita prometem mundos e fundos que sabem que não será possível cumprir. As candidaturas do PSTU, ao contrário, não semeiam ilusão e propõem um programa contra os efeitos da crise sobre a classe trabalhadora.

Votar num candidato do PT ou de um partido da base do governo Lula não é, portanto, votar num mal menor, mas sim votar num mesmo mal.

Voto útil é votar só em quem pode ganhar?
As candidaturas da classe trabalhadora, normalmente, não aparecem nos primeiros lugares das pesquisas, principalmente pela falta de recursos e pelas medidas antidemocráticas das eleições. Os candidatos do PT ou do PSDB e DEM têm muito mais tempo de TV e dinheiro para sustentar campanhas caríssimas.

Isso desestimula muita gente a votar num candidato com poucas chances de ser eleito. Mas, se os trabalhadores votarem somente nos candidatos que podem vencer, sempre se votará nos mesmos partidos de sempre. Nunca surgirá algo novo.

O mesmo PT que estimula o voto útil hoje foi vítima dele no passado. Os apoiadores do PMDB diziam que era necessário evitar a vitória da direita e por isso era errado votar no PT.

O voto, porém, pode servir como um importante apoio a um programa socialista. Ter uma boa votação, mesmo não se elegendo, significa um ponto de apoio muito importante para as lutas que os trabalhadores farão depois das eleições.

Voto útil é nos candidatos que defendem o socialismo
Os candidatos do PSTU se orgulham de defender, nestas eleições, um programa socialista. Enquanto os outros partidos fazem promessas que sabem que não vão cumprir, nós defendemos um programa para mudar realmente o país. Denunciamos as privatizações e a corrupção e propomos, entre outras medidas, a municipalização e estatização do transporte público, assim como uma saúde pública e 100% estatal.

Um voto nas candidaturas do PSTU, portanto, representa um voto em defesa de um programa dos trabalhadores. Significa o fortalecimento de um projeto socialista para a sociedade. Um voto nas candidaturas da burguesia, pelo contrário, ajuda a legitimar um mandato contra os trabalhadores, a favor da privatização e de toda a política neoliberal que há anos é aplicada no país, desde o governo federal, passando pelos governos estaduais até as prefeituras e Câmaras Municipais.

Além disso, uma vez eleito, esse candidato socialista transformará sua tribuna parlamentar numa trincheira da classe contra esse sistema de exploração. Será um importante ponto de apoio às lutas.

A burguesia, a Justiça e a grande mídia sabem disso. Daí todo o esforço para esconder ao máximo os candidatos socialistas. Daí a facilidade com que a Justiça Eleitoral concede os direitos de respostas contra os programas do PSTU.

Por isso, no dia 5 de outubro, ajude a fortalecer um projeto da classe trabalhadora. Vote nos candidatos do PSTU e da Frente de Esquerda.

Post author da redação
Publication Date