Votar no PT ou na direita reforça ataques contra os trabalhadores

Hoje está se dando uma contradição: mesmo desconfiados de todos os partidos, xingando os “políticos em geral”, os trabalhadores seguem votando nos partidos majoritários, como o PT, o PSDB etc. Já não existe a grande esperança de mudança da vida por via eleitoral, como existia na eleição de Lula. Isso se manifestou na frieza de todo o processo eleitoral, sem grandes comícios, e com cabos eleitorais pagos. Mas, com o crescimento da economia, se retomou a expectativa de que virão melhorias sociais, reduzindo o desemprego. Isso é apenas uma ilusão, porque o plano neoliberal, mesmo em épocas de crescimento como agora, não amplia qualitativamente o emprego.

Os trabalhadores e o povo pobre, ao votar nos candidatos do PT e da oposição de direita, esperam com esse voto ter mais empregos e salários, mas na verdade estão reforçando os cortes nas verbas sociais, de acordo com o que o FMI manda.

Infelizmente, eles foram enganados no primeiro turno e podem sê-lo de novo. Ao votar nestes partidos, só reafirmam a caracterização de Marx sobre a democracia burguesa: o regime que permite aos trabalhadores escolher os representantes da burguesia que vão explorá-los violentamente depois.

Votar no PT para evitar que a direita ganhe?

Uma pergunta muito comum entre ativistas é se não vale a pena votar no PT, apesar de tudo, “para que a direita não ganhe”? Seguramente, muitos fizeram isso no primeiro turno e outros estão dispostos a fazê-lo agora, de nariz tampado.

Mas, como se define esquerda e direita nessas eleições? Desde o ponto de vista do programa, esquerda nessas eleições foram os que defenderam um programa contrário ao FMI e ao plano neoliberal. O PT foi um representante da direita (um dos mais importantes, por estar no governo), defendendo a continuidade do plano econômico.

Deste o ponto de vista de classe, esquerda foi quem apresentou candidaturas das lutas dos trabalhadores, sem alianças com a burguesia. O PT se apresentou como parte da direita, fazendo coligações com partidos burgueses, como o PMDB, o PTB e outros.

Nem mesmo se poderia justificar o voto no PT como contra a corrupção. A campanha riquíssima deste partido está sendo financiada com dinheiro de doações interessadas da burguesia ou diretamente da corrupção.

Votar no PT, então, é também votar na direita.

E o voto na oposição de direita?

Então não é melhor votar na oposição de direita, para punir o PT? O voto, nesse caso, não vai somente ajudar a derrotar o PT, mas também reforçar a oposição de direita.

Os projetos econômico e político do PSDB e do PFL são iguais aos do PT. Estes partidos já estiveram no comando do país por oito anos, nos mandatos de FHC, sendo responsáveis pela implantação do neoliberalismo.

Votar nesses partidos é como referendar as privatizações da Telebrás, o fim do monopólio da Petrobrás e os sucessivos cortes sociais. Votar nesses partidos é fortalecer FHC, o provável candidato para 2006.
Post author
Publication Date