Unir as lutas no Congresso Nacional

Plenária Nacional em Belém aprova calendário de lutas contra a crise e avança na organização do Congresso Nacional dos EstudantesNo dia 30 de janeiro ocorreu no Acampamento Intercontinental da Juventude, em Belém, a terceira plenária nacional de construção do Congresso Nacional dos Estudantes. O evento aprofundou a construção democrática iniciada em setembro de 2008, através da plenária convocada no Rio de Janeiro pelo Diretório Central dos Estudantes da UFRJ.

A reunião contou com a presença de mais de 150 estudantes de 13 estados. Estiveram presentes os DCEs da USP, UFMG, UnB, UERJ, UFAL, UFJF, UEPA, UEMA e UFRA. Além disso, marcaram presença dezenas de centros acadêmicos e as executivas de educação física, letras, serviço social, fonoaudiologia, terapia ocupacional etc.

Plenária aprova calendário de lutas contra a crise econômica
A crise econômica e seus efeitos sobre a juventude estiveram no centro do debate. Os estudantes discutiram os ataques que estão ocorrendo devido à crise contra a juventude e a educação pública. A restrição à meia-entrada, os aumentos de mensalidades, os cortes de verbas na educação, a reforma universitária e o REUNI foram alguns dos temas debatidos.

A necessidade de unificar as lutas em um calendário nacional foi sentida por todos. Assim, a plenária aprovou um calendário nacional de lutas e um chamado a todas as entidades e estudantes para sua construção unificada.

Entre outras iniciativas, o calendário incorporou o chamado do DCE da USP à realização de uma calourada nacional unificada com o tema “A Universidade em Tempos de Crise”. Foi aprovada também uma jornada de lutas em torno ao 28 de março, afirmando que a juventude não pagará pela crise e denunciando os ataques à educação pública e aos direitos da juventude. Outra decisão foi um abaixo-assinado contra a restrição da meia-entrada, bem como o dia do “Não Pago”, onde milhares de estudantes realizarão atos em frente a cinemas.

Plenária avança na construção democrática do congresso
Com as iniciativas aprovadas, ficou claro para todos os presentes a necessidade de seguir avançando na unificação e fortalecimento das lutas. Afinal de contas, a grave crise econômica que atinge o país irá cobrar seu preço, e a cada dia fica mais claro que governos e empresários querem jogar a crise nas costas da juventude e dos trabalhadores.

Diante desse cenário, a construção do Congresso Nacional dos Estudantes torna-se ainda mais urgente e necessária. A juventude brasileira precisa de um espaço nacional para avançar no acúmulo de debates e na construção das lutas. O congresso da UNE, comprometido com a defesa do governo Lula e de seu projeto para a educação, não poderá cumprir esse papel. Apenas a construção de um congresso independente, democrático e de luta poderá apontar o caminho das lutas e os rumos do movimento.

Assim, a plenária avançou também na construção democrática do congresso, discutindo o projeto de regimento, apresentado pelo DCE da USP. Os estudantes definiram encaminhar a discussão do regimento para as bases. O objetivo é que estudantes e entidades em todo o país possam discutir democraticamente e apresentar propostas de alteração no regimento, antes de sua aprovação na 4ª Plenária Nacional do Congresso no dia 21 de março, em Salvador.

Precisamos de um instrumento nacional de lutas!
Para seguir avançando na unificação e no fortalecimento das lutas, será necessário dar um passo adiante na organização das lutas. O movimento estudantil combativo precisa, diante da crise, de um instrumento nacional de lutas que possa organizar e impulsionar as mobilizações por todo o país. Esse instrumento deve ser oposto, na forma e no conteúdo, à falida UNE. Deve ser controlado pelas bases, radicalmente democrático e a serviço das mobilizações. Na crise econômica, torna-se ainda mais urgente e necessária a criação desse instrumento. Por isso, é muito importante que o Congresso Nacional dos Estudantes avance nesse debate e termine na construção democrática desse novo instrumento.

Calendário de Lutas
Fevereiro\ Março – Calourada nacional unificada – “A Universidade em Tempos de Crise!”

08 de março – Ato do dia Internacional da Mulher
Março – Dia do “Não Pago”
Semana do dia 28 de março – Jornada de lutas contra os ataques à juventude e à educação

1º de maio – Atos classistas com os trabalhadores contra as demissões e redução dos direitos
11 a 14 de junho – Congresso Nacional dos Estudantes

Post author Leandro Soto, da Secretaria Nacional de Juventude do PSTU
Publication Date