Não à restrição da meia-entrada!

A juventude não vai pagar pela crise!Em janeiro de 2009, foi aprovado no Senado o PLS 188/07, que restringe a apenas 40% do total de bilhetes o direito à meia-entrada em cinemas, teatros, estádios de futebol etc. Esse projeto, além de atacar um direito histórico conquistado pelo movimento estudantil nos anos 40, pode significar a total exclusão cultural de uma grande parte da juventude brasileira, sobretudo em tempos de crise econômica. Para entrar em vigor, faltam ainda a aprovação do projeto na Câmara e a sanção do presidente Lula.

Os empresários do entretenimento sempre buscaram acabar com a meia-entrada. Por isso, já driblavam esse direito, colocando os preços das “inteiras” lá em cima, para que a “meia” não significasse perda dos seus lucros. Agora, com a crise econômica, o lobby desses empresários visa restringir esse direito histórico, para que a juventude pague pela crise enquanto os empresários ampliam seus enormes lucros.

Apesar de se colocarem contra o projeto, a UNE e a UBES têm a lamentável postura de negociar esse direito com os empresários visando retomar o monopólio da fabricação das carteirinhas. Esse monopólio significa um duro ataque ao direito à meia-entrada, visto que muitos estudantes não têm como pagar os altos preços para ter a carteira dessas entidades.

Diante da postura da UNE e da UBES, o movimento estudantil combativo deve mostrar mais uma vez sua disposição de luta e exigir que o governo Lula não sancione essa lei. Chamamos todos os estudantes e entidades estudantis a encampar essa luta conosco.

Post author Camila Lisboa, da Secretaria Nacional de Juventude do PSTU
Publication Date