Uma calúnia da direção da cut

Um método stalinista

A direção da CUT divulgou, através de seu site, no dia 29 de agosto, uma calúnia, no mais perfeito estilo stalinista. Como se sabe, o stalinismo desenvolveu um estilo de luta política no qual valem as calúnias, sempre com o objetivo de desacreditar o oponente. Mesmo que o acusado demonstre estar dizendo a verdade, sempre ficará uma dúvida, porque o acusador utiliza a credibilidade que tem, para legitimar uma mentira. Com este método, um grupo pode acusar o outro de furar uma greve ou roubar dinheiro, mesmo que isto seja uma mentira, para tentar criar um clima de desconfiança sobre o oponente.

Em seu site, a direção da CUT divulga que o PSTU está fazendo uma coligação com o PFL na cidade de Barra do Garças, em Mato Grosso.

Vamos aos fatos: um grupo oriundo do PC do B se filiou recentemente ao PSTU e, para surpresa nossa e sem o conhecimento da direção do partido, fez uma coligação com o PFL. Como o PSTU não brinca com princípios , assim que soubemos do fato, o grupo foi expulso e o diretório dissolvido.

Solicitamos na justiça a impugnação da coligação em base a estes procedimentos no dia 17 de julho , e a 23 de agosto, a juíza Eulice Jaqueline da Costa, da 47ª Zona Eleitoral de Mato Grosso (Barra do Garças) cancelou o registro do candidato, anulando a coligação. Em sua decisão a juíza afirma que:
“Logo, uma vez expulso o candidato, tornou-se ele inelegível, já que não se encontra filiado a nenhum partido, desatendendo aos requisitos da Lei Complementar 64/9-0.
Assim, defiro o pedido inicial , cancelando o registro de candidatura do demandado Rubio Cordeiro de Souza.”

Estes fatos foram noticiados em nosso jornal Opinião Socialista , número 187, sob o título “ Não se pode negociar com princípios” (página 2), que foi publicado no dia 19 de agosto, dez dias portanto antes desta notícia no site da CUT.

Mas a direção da CUT não parou na divulgação deliberada de uma notícia que sabia ser falsa. Foi muito mais longe, divulgando na mesma nota, uma falsa declaração da direção do PSTU justificando a coligação com o PFL por ser “o partido do companheiro Miguelão de oposição ao governo Lula”.

Aqui já estamos perante uma falsificação deliberada de uma posição, da tentativa deliberada e consciente da direção da CUT de fabricar uma calúnia no melhor estilo do stalinismo. Estamos perante um fato que, se generalizado, instalará o vale tudo no movimento de massas. Exigimos que a CUT publique esta nota em seu site, e solicitamos que as outras correntes de esquerda defendam o nosso direito de fazê-lo.
O PC do B, stalinista e aliado da Articulação na direção da CUT, também andou divulgando a mesma mentira. Esta nota mentirosa também foi levada por um anônimo para o site do Centro de Mídia Independente, para completar esta manobra stalinista.

Uma aliança com o PFL não seria de estranhar no PT e no PCdoB, que nas eleições atuais estão em coligação com este partido em cidades como Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro e em várias outras cidades do país. Não com o PSTU que defende a independência de classes dos trabalhadores em relação a burguesia. Nós, ao contrário da direção do PT ou do PC do B, não temos nenhum “companheiro” do PFL.
Nós recusamos a política e também a metodologia stalinista da direção da CUT e do PCdoB. Vamos nos recusar sempre a inventar calúnias contra estas direções, mesmo estando radicalmente contra suas posições. Nos basta a luta pela verdade. Estamos rompendo com a CUT porque ela se transformou em uma central chapa branca , um braço do governo Lula e seu programa neoliberal no movimento de massas. Apoiou a reforma da previdência e agora apóia a reforma sindical e trabalhista que vai retirar direitos históricos dos trabalhadores brasileiros. Esses são os fatos que devem ser discutidos, de forma limpa, sem manobras stalinistas.

Direção Nacional do PSTU, 31 de agosto de 2004

Post author
Publication Date