Trabalhadores preparam terra para plantio em área ocupada de Cabrobó (PE)

Continuam a ocupação e o acampamento nas obras do canal norte do projeto do governo federal de transposição do rio São Francisco, em Cabrobó (PE). A Advocacia Geral da União deu entrada no pedido de reintegração de posse, mas o número de manifestantes aumentou nesta quarta-feira, 27, para cerca de 1.500 pessoas que preparam a área para plantio de alimentos e espécies nativas.

Os ocupantes afirmam que qualquer ação referente à reintegração de posse só será organizada após expedição de ordem pelo juiz federal responsável, da comarca de Salgueiro (PE).

A ação acontece de modo pacífico e envolve organizações sociais, movimentos populares, povos e comunidades tradicionais dos estados de Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Bahia e Ceará. É mais um ato que exige o arquivamento do projeto de transposição. Além disso, o povo indígena Truká afirmar ter direito sobre o território e faz a retomada das terras.

Segundo informações dos povos indígenas daquela região, o local é uma confluência de três fazendas: Trucutu, Toco Preto e Mãe Rosa. O mesmo foi visitado recentemente pelo ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima.

Hoje pela manhã os trabalhadores se reuniram em assembléia e participaram de momentos de formação. A tarde o grupo deverá fechar o buraco escavado pelo exército para receber Geddel, na área de tomada das águas, além de arar a terra, plantar mudas de plantas típicas da mata ciliar e alimentos como feijão, milho, abóbora e melancia.

Bispo se junta a acampamento
Os bispos diocesanos de Barra (BA), Dom Luiz Cappio, e o de Juazeiro (BA), Dom José Geraldo, devem visitar na quinta-feira, 28, pela manhã o acampamento. Eles irão reforçar a ação e participar de um momento ecumênico com os manifestantes.

Cappio é o bispo que, em outubro de 2005, fez uma greve de fome em protesto a transposição e em fevereiro, desse ano, enviou carta ao presidente Lula cobrando compromissos firmados de organizar debates sobre o projeto. O ato deu início à uma ‘jornada de lutas´ que culminou com um acampamento, entre os dias 12 e 16 e março, em Brasília (DF).

SERVIÇO:
Acampamento em Cabrobó (PE)

Local – BR KM 29, entre Cabrobó e Orocó (PE)
Pessoas – 1500
Envolvidos – MST – MPA – MMC – MAB – APOINME – MONAPE – CETA – SINDAE – CÁRITAS – CIMI – CPP – CPT – ASA – AATR – PJMP – CREA/BA – SINDIPETRO AL/SE – CONLUTAS – Federação Sindical e Democrática de Metalúrgicos do Estado de MG – Terra de Direitos – Fórum Nacional da Reforma Agrária – Rede Brasileira de Justiça Ambiental – Fórum Permanente em Defesa do Rio São Francisco / BA – Fórum de Desenvolvimento Sustentável do Norte de MG – Fóruns de Organizações Populares do Alto, Médio, Submédio e Baixo São Francisco – Frente Cearense Por uma Nova Cultura da Água Contra a Transposição – Projeto Manuelzão/MG – STRs, Colônias de Pescadores, Comunidades Ribeirinhas, Indígenas, Quilombolas, Vazanteiras, Brejeiras, Catingueiras e Geraiseiras da Bacia do Rio São Francisco