Trabalhadores dos Correios rejeitam proposta rebaixada e seguem em greve

Grevistas protestam em Brasília
Geraldinho Rodrigues

Na audiência de conciliação no Tribunal Superior do Trabalho (TST), que aconteceu nesta terça-feira, foi informado ao presidente do TST que os trabalhadores não aceitaram a proposta formulada por ele na audiência anterior. O ministro Rider de Brito recebeu a negativa dos trabalhadores e passou para o próximo passo, ou seja, a escolha do relator do processo. O sorteado foi o ministro Mauricio Godinho.

A sessão de dissídio coletivo encontra-se em recesso. Somente retornará suas atividades no dia 14 de agosto. O relator voltará de férias no dia 1º de agosto. O ministro do TST, na tentativa de uma conciliação entre as partes, apresentou mais uma proposta rebaixada, que foi rejeitada pelos os sindicatos nas assembléias.

A comissão tem até o dia 17 de julho, próxima quinta-feira para apresentar ao ministro o resultado das assembléias em relação à proposta apresentada por ele. A proposta feita pelo ministro Rider de Brito não atende às expectativas da categoria em greve. Nesse sentido, o comando orientou que a proposta fosse rejeitada pelas assembléias realizadas no dia 15 de julho.

Comando constrói uma contraproposta
Após a audiência, o comando se reuniu e discutiu a necessidade de construir uma contraproposta para ser apresentada nas assembléias e avaliada. Na quinta-feira, se aprovada, será encaminhada ao presidente do TST.

A contraproposta elaborada foi a seguinte:

1. A ECT suspenderá a implantação do PCCS 2008.

2. A ECT e a Fentect voltarão a discutir os termos do PCCS de 2008, mediante
pauta de temas previamente estabelecida, com a mediação do TST.

3. A ECT pagará, em definitivo, a todos os funcionários que trabalham na distribuição de cartas e encomendas em vias públicas, uma gratificação de 30% do salário base de cada trabalhador conforme Termo de Compromisso.

4. A ECT, em consenso com a Fentect, criará uma Gratificação de Triagem e Transbordo para todos os trabalhadores que executam a triagem e transbordo de cartas e encomendas.

5. A ECT manterá o pagamento da AAG a todos os Atendentes Comerciais.

6. A ECT fará a revisão da PLR do exercício de 2007, conforme proposta protocolada
pela Comissão de Negociação Permanente da Fentect.

7. A ECT não retaliará os grevistas e nem descontará dos mesmos os dias parados.