Trabalhadores da Revap reforçam greve dos petroleiros

Em 2008, operários fizeram uma dura greve, de mais de 30 diasOs trabalhadores da Revap (Refinaria Henrique Lage), em São José dos Campos, aderiram à paralisação nacional da categoria por PLR, melhores condições de trabalho, pagamento do extra-turno feriado, manutenção dos empregos nas empresas terceirizadas e a implantação na empresa do auxílio maternidade de 180 dias. A Frente Nacional dos Petroleiros (FNP) também está organizando a luta nas suas outras bases.

A greve começou na rendição de turno da zero hora desta segunda-feira em busca de um canal de negociação eficiente com a empresa. A multinacional de economia mista tem incessantemente ignorado as reivindicações da categoria sobre negociação dos termos para o pagamento da PLR de 2008, ano em que a empresa bateu recorde de produção, de lucro e ainda encheu a mão com a grana pública do BNDES.

Só a luta e a mobilização dos companheiros podem forçar a empresa a abrir um canal de negociação e abandonar a postura intransigente, visando apenas garantir os lucros milionários dos acionistas. 40% dos companheiros da Revap já estão de braços cruzados.

A princípio, a greve deve durar cinco dias, mas a continuidade ou não do movimento será deliberado pelos trabalhadores e depende da resposta que aguardamos da empresa. Vale dizer que a nossa mobilização pode aumentar com a adesão dos trabalhadores dos outros turnos que vão somar com os companheiros já em greve para fortalecer o movimento no decorrer da semana.

É a hora de a categoria dar um exemplo de mobilização e união e pressionar a direção da empresa a atender as nossas reivindicações.

FNP e Sindipetro/SJC na luta pelos direitos da categoria!

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Destilação e Refinação de Petróleo