Trabalhadoras negras são agredidas a chicotadas em BH

No dia 22 de setembro, três mulheres negras foram agredidas a chicotadas e com xingamentos racistas por um homem branco em Belo Horizonte (MG).

A Secretaria de Negros do PSTU-MG repudia o ocorrido. O partido se coloca à disposição das trabalhadoras no combate árduo ao racismo e na solidariedade a elas, pela exemplar punição do agressor que, infelizmente, não pode ter seu nome publicado por determinação da Justiça.

Abaixo, publicamos a moção de repúdio divulgada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal em Minas Gerais (Sitraemg).

MOÇÃO DE REPÚDIO A PRÁTICAS DESUMANAS
No mundo contemporâneo, onde as crianças sabem mais sobre tecnologia que seus próprios pais, no qual se discute sobre a cura de doenças que atormentaram a humanidade durante séculos, um mal, um flagelo, insiste em se manter vivo.

O estarrecedor fato ocorrido no último dia 22/8/2009, no bairro Savassi, em Belo Horizonte (MG), revela que os limites da civilidade, da educação, da cortesia, do urbanismo, do respeito às leis e ao ser humano, podem, numa fração de segundo, serem jogados por terra, revelando o que de mais baixo, mais abjeto, pode abrigar uma pessoa em sua alma.

Conforme é de conhecimento público, neste dia 22 de agosto de 2009 (pleno século XXI), Francisca Reis da Silva, Ângela Machado Teles, Vânia Cristina da Cruz Ribeiro, mulheres, negras, passeavam com o cachorro pelas ruas do bairro Savassi. Neste mesmo momento, um homem branco fazia idêntico programa. Num encontro fortuito entre as três senhoras, os cães acabaram envolvendo-se numa briga.

Um homem branco, a pretexto de apartá-los, mostrando crueldade inominável, agrediu de forma covarde as três senhoras, fisicamente, com o uso de um chicote, e verbalmente, com insultos raciais, como se a condição de homem e branco fossem passaporte para práticas covardes.

O racismo é a prática mais abominável entre todas as coisas que aviltam o ser humano, pois atinge a pessoa enquanto ser.

O Sitraemg, entidade representativa dos trabalhadores no Judiciário Federal, não pode calar. O Sitraemg repudia de forma veemente o ocorrido, postando-se ao lado das vítimas, vindo a público apresentar uma moção de repúdio aos grotescos fatos protagonizados por este Sr., dando conhecimento aos seus associados e lembrando que a prática de políticas públicas que visam eliminar de forma definitiva o racismo no Brasil ainda estão longe de atingirem os níveis ideais. No entanto, a sociedade mobilizada, por meios de suas entidades, associações, não há de descuidar na luta pela punição de atos racistas.

O Sitraemg e as entidades representativas das lutas das mulheres, dos negros, das mulheres negras, acompanharão atentamente o desenrolar dos acontecimentos, alertando a sociedade brasileira que tais atitudes não mais serão toleradas pelos que até ontem sofriam semelhantes agressões de cabeça baixa.

  • Pela Dignidade da Mulher
  • Pela Dignidade do Negro
  • Pela Dignidade da Mulher Negra
  • Pela Dignidade do Trabalhador

    Sitraemg (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal em Minas Gerais)

  • Visite a página da Secretaria de Negros e Negras do PSTU