Toda a vanguarda do Sindicato dos Rodoviários do Amapá é demitida

Objetivo dos donos das empresas de ônibus é eliminar resistênciaBaixe o dossiê Amapá (.pdf)

Após ameaças e atentados não intimidarem, os patrões resolveram apelar, demitindo toda a vanguarda e diretores do Sindicato dos Rodoviários do Amapá. No dia 22 de dezembro, demitiram 90% da diretoria executiva. Em seis meses, 30% da categoria perdeu o emprego, somando quase 300 companheiros que formaram a linha de frente das últimas greves. É uma demissão seletiva do melhor da vanguarda.

Não é de hoje que os donos da empresas de ônibus buscam destruir o sindicato. Há tempos vêm suspendendo o repasse das mensalidades ao sindicato, demitindo ativistas e patrocinando a oposição à entidade.

Sem falar nas ameaças e atentados contra diretores e o presidente da entidade, Joinville Frota, e sua família. O último foi em agosto de 2008, quando tentaram incendiar sua casa.

A maioria dos demitidos são companheiros que estiveram à frente da heroica paralisação de 12 dias contra a “dupla pegada”, realizada há quatro meses. Alegando uma suposta “abusividade” de greve, o que nunca foi decretado judicialmente, os patrões demitiram todos.

Essa atitude é um claro ataque à liberdade e à organização sindical. É um crime contra a livre organização dos trabalhadores.

O Amapá vive hoje um dos mais fortes ataques contra a organização da classe trabalhadora. Por isso, a solidariedade nacional e internacional é necessária. Com ela e a mobilização da classe poderemos derrotar os patrões mais uma vez.

A sobrevivência deles está em nossas mãos
Os trabalhadores precisam de solidariedade e contribuições financeiras. O ataque aos rodoviários deixou dezenas de companheiros sem sustento e sem poder se proteger das ameaças contra sua vida. A solidariedade neste momento é fundamental, através de moções de protesto e, principalmente, doações individuais, de sindicatos ou de assembléias de trabalhadores.

Enquanto durar a luta pela reintegração, os diretores e cipeiros precisam de ajuda. Veja, abaixo, como contribuir e protestar contra o ataque.

Bônus no FSM
Os rodoviários estarão vendendo bônus durante o Fórum Social Mundial.

Fazendo uma doação em conta, de qualquer valor (entidades, sindicatos ou individuais)
Se você faz parte de um sindicato, discuta na diretoria uma ajuda regular ou uma doação avulsa. Deposite na conta do Sindicato dos Condutores de Transporte de Passageiros do Amapá:

Caixa Econômica Federal
Agência: 0658 – Conta corrente: 197-2

Enviando uma mensagem
Escreva contra as demissões e exigindo garantias de vida para Joinville Frota:

Ao Exmo. Sr. governador Antonio Waldez Góes
[email protected]

Sindicato das Empresas de Transporte
[email protected] / Fax: (96) 3222.0318

Com cópia para o e-mail da campanha:
[email protected]

LEIA TAMBÉM:

  • Publication Date