Terceirizados da Revap param de novo

Protesto é contra a demissão da comissão que comandou a greve no mês passadoOs cerca de 12 mil trabalhadores terceirizados da Revap (Refinaria Henrique Lage), em São José dos Campos, voltaram a cruzar os braços hoje.

Eles estão parados, desde as 7h, dentro da refinaria, em protesto contra a atitude arbitrária das empreiteiras que anunciaram hoje a demissão, em massa, de toda a Comissão de Trabalhadores.

Esta é a mesma comissão que comandou a greve dos trabalhadores da obra de ampliação da refinaria, que durou 30 dias e terminou no dia 16 de junho.

Os trabalhadores pararam hoje pela manhã, logo após o anúncio das demissões, e ficarão de braços cruzados até que os membros da comissão sejam readmitidos.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e a Conlutas apóiam integralmente mais esse movimento dos trabalhadores e lamentam essa atitude antidemocrática das empreiteiras e da Petrobras, que é um ataque à organização dos trabalhadores.

Além disso, a demissão dos membros da Comissão é um claro descumprimento de uma das cláusulas do acordo, firmado entre trabalhadores e empresas, que colocou fim à greve.

O acordo estabelecia, entre outros pontos, que não haveria nenhum tipo de retaliação aos trabalhadores e ainda garantia a estabilidade de emprego por 90 dias.

Também é lamentável a atuação do Sindicato da Construção Civil, filiado à CUT, que mais uma vez não está assumindo seu papel de defender a própria categoria e ainda não tomou nenhuma atitude em favor dos trabalhadores demitidos.