Só a luta pode barrar privatizações

Trabalhadores devem exigir a reestatização e o fim das privatizações em curso, como os leilões da Petrobras

Muitos temem o retorno do PSDB ao governo e a retomada das privatizações no país. Por isso, há trabalhadores afirmando que irão votar em Lula “contra Alckmin e as privatizações”. Queremos dizer, entretanto, que Lula também representa um perigo para as estatais, pois realiza uma privatização silenciosa. Se o presidente estivesse realmente contra as privatizações ele deveria reestatizar as empresas privatizadas pelo PSDB. Os trabalhadores que votarem em Lula por medo de Alckmin devem cobrar a reestatização do candidato do PT. 

Entretanto, Lula não reestatizou nenhuma empresa porque está de acordo com as privatizações de FHC e as utiliza agora contra Alckmin por puro cálculo eleitoral. É a mesma hipocrisia do PSDB quando critica a corrupção petista, “esquecendo” a roubalheira dos tempos de FHC.

Os trabalhadores devem exigir a reestatização e o fim das privatizações parciais em curso nas estatais que restaram, como os leilões da Petrobras, abertura do capital, as PPP’s etc. As estatais devem passar para o comando dos seus próprios trabalhadores que devem ter o direito de eleger a diretoria das empresas. 
Está comprovado que a única maneira de impedir as privatizações é por meio da lutas dos trabalhadores. Na Bolívia, por exemplo, a privatização da água em Cochabamba foi revertida após uma intensa mobilização da população.

Atualmente há em curso uma campanha pela reestatização da Vale do Rio Doce. A campanha “A Vale é nossa” reúne entidades da sociedade civil e movimentos sociais estão divulgando como foi fraudulenta a privatização. Nos mesmos moldes do Plebiscito sobre a Alca, está previsto um plebiscito popular sobre o assunto para o segundo semestre de 2007.

Post author
Publication Date