Servidores federais impulsionam oposição nacional à Condsef

Servidores públicos federais impulsionam nacionalmente o movimento “Luta Servidor”, com o objetivo de afirmar e fortalecer uma oposição de luta à atual direção da Condsef, a Confederação Nacional dos Servidores Públicos Federais. A Condsef reúne os sindicatos dos servidores federais de diferentes órgãos nos estados e sua atual política tem levado a derrota para a campanha salarial da categoria nos últimos anos.

A maioria da direção da Confederação leva uma política atrelada ao governo Lula e à CUT, recusando-se a apostar na unificação da própria base e com as outras entidades do funcionalismo. Com isso, a entidade joga a categoria na fragmentação e privilegia os acordos de gabinetes em detrimento da mobilização direta dos trabalhadores. A maioria da direção da Condsef enfrenta, por causa dessa política, um progressivo processo de desgaste na base dos servidores.

Oposição se fortalece
No entanto, sindicatos de luta nos estados e oposições sindicais vêm fortalecendo a organização de uma oposição nacional à essa direção. No próprio Conat (Congresso Nacional dos Trabalhadores), os servidores se reuniram e estreitaram suas relações. Em fevereiro, a oposição lançou o jornal Movimento Nacional Luta Servidor, que será distribuído nos estados, divulgando o movimento inclusive nas bases de sindicatos atrelados ao governo.

“Sem enfrentar o governo e apostar numa política de unidade dos servidores, continuaremos a sofrer cada vez mais ataques”, afirma o jornal, que também propõe uma reunião nacional durante as atividades da Cnesf (Coordenação Nacional dos Servidores Públicos Federais) em março. Outro desafio é o fortalecimento do movimento nas regiões Norte e Nordeste. Para isso, o jornal propõe a realização de um seminário até o final de abril deste ano. Além disso, a publicação defende a ruptura com a CUT e a construção da Conlutas nos estados.

A oposição é formada atualmente pelos sindicatos de São Paulo, Alagoas, Pará e Rio Grande do Norte, além das oposições de Sergipe e do Distrito Federal. Além disso, conta também com representantes em diversos outros estados.

“Só conseguiremos arrancar vitórias se a Condsef romper com o governo e unificar as lutas. E isso só vai se dar com o fortalecimento de nosso movimento”, afirma Beth Lima, diretora do Sindsef-SP.

Quem quiser pode contatar o movimento pelo email: [email protected]