São José dos Campos: data é marcada por protesto contra ataques aos direitos

O dia dos trabalhadores em São Jose dos Campos foi marcado por um ato unificado contra os ataques dos direitos dos trabalhadores e pela redução da jornada de trabalho.

Cerca de 300 pessoas participaram da manifestação que aconteceu, das 9h às 13, na Praça Pedro Pinto da Cunha.

O protesto reuniu sindicatos de diversas categorias como metalúrgicos, químicos, condutores, da alimentação, petroleiros, dos Correios, aposentados, da saúde e oposições sindicais da construção civil, de professores e servidores municipais. Moradores do Banhado e os sem-teto do Pinheirinho, que realizam uma forte mobilização em defesa da moradia contra os ataques da prefeitura, também participaram ativamente da manifestação.

Durante o ato foi lembrado os ataques que estão sendo feitos pelas empresas na região, como a GM que quer impor Banco de Horas e reduzir salários. Outras empresas estão querendo fazer o mesmo, como é o caso da Johnson que também planeja reduzir os salários na fábrica em até 38%; ou ainda os condutores que estão sob ameaça de perda de direitos e empregos.

Na maioria das falas foi apontado o caminho para derrotar os patrões: unidade e resistência dos trabalhadores para barrar os ataques.

“Hoje não é um dia de festas patrocinadas pelos patrões como fazem a CUT e a Força Sindical. O 1º de Maio é um dia de luta da classe trabalhadora em todo o mundo por melhores condições de trabalho e de vida”, disse o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos e coordenador regional da Conlutas, José Donizete de Almeida.

No próximo dia 28, data que será marcado em todo o país como de luta em defesa da redução da jornada de trabalho sem redução de salário, serão realizadas manifestações em São José.

*Com informações do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos

LEIA TAMBÉM

  • Ato em Porto Alegre denuncia política assassina de Lula no Haiti