Resolução da Conlutas sobre o Encontro Latino-Americano e Caribenho de Trabalhadores

A Coordenação Nacional da Conlutas, reunida em 8 e 9 de junho de 2008, realizou discussão sobre a organização do ELAC. Publicamos, abaixo, o conjunto de resoluções votadas na reunião.1 – Reafirmar a convocatória do ELAC, entendendo como muito importante este esforço para que avancemos na unidade e na solidariedade internacional dos trabalhadores e povos de toda a América Latina. Referendar os encaminhamentos dados até agora pela Conlutas e pelos companheiros que assumiram a tarefa de organização e divulgação do Encontro.

2 – Acerca dos objetivos do Encontro, a Coordenação Nacional reafirma que a Conlutas não propõe que sejam tomadas deliberações acerca da caracterização dos governos da América Latina, mais precisamente os governos da Venezuela, Equador e Bolívia.

No interior da Conlutas existem várias opiniões sobre esta questão. Acreditamos que essa diversidade de opiniões existe também nos movimentos em toda a América Latina. E não consideramos que haja acúmulo para que possa ser tomada uma única posição sobre esse assunto. Isso sem prejuízo do desenvolvimento do debate necessário sobre esse tema que julgamos importante que aconteça.

3 – O que sim acreditamos que o encontro deve fazer é aprovar bandeiras de luta que, respeitando o programa da Conlutas, sejam consensuais entre os participantes. E aprovar também um plano de ação, as atividades concretas que possam ser definidas – também de comum acordo – e que materializem a unidade e a solidariedade internacional dos trabalhadores. Todas as propostas debatidas no ELAC que não tenham sido votadas no Congresso da Conlutas serão discutidas e deliberadas na Coordenação Nacional.

4 – A Coordenação da Conlutas entende que é necessário também que se constitua um “espaço de organização” que possibilite um encaminhamento prático das resoluções do Encontro, e que seja um ponto de apoio para o desenvolvimento da luta em comum e da solidariedade entre os trabalhadores e povos latino-americanos. O nome que adotará, bem como a forma de constituição deste “espaço de organização” será debatido com mais calma até o ELAC.

A Conlutas entende também que este espaço de organização não deve se constituir como uma entidade ou instituição porque não há amadurecimento ou condições políticas para tanto neste momento.

5 – A participação da Conlutas no “espaço de organização” que se constituirá no ELAC deverá ser feito através de delegação plural definida na Coordenação Nacional da Conlutas.

6 – A Coordenação Nacional da Conlutas entende o ELAC como um espaço de construção da unidade e solidariedade onde as várias organizações participantes preservam sua independência e autonomia de acordo com suas instâncias de deliberações internas

7 – A delegação da Conlutas que representará, com direito à palavra, a nossa Organização no ELAC será composta no Congresso da Conlutas respeitando a pluralidade de opiniões existente na nossa organização, sempre a partir da representação das entidades e movimentos.

São Paulo, 8 e 9 de junho de 2008
Coordenação Nacional da Conlutas