Queremos nos solidarizar com nossa companheira e amiga Fabiana Wolf e seus familiares que perderam, neste dia 20 de abril, sua mãe Gleide e três dias antes (17/04) seu padrasto, Bruno.

Ambos foram vítimas do COVID-19 e da política genocida do governo Bolsonaro e do Governador de Sergipe Belivaldo Chagas, de banalização da pandemia, sem ter um lockdown que proteja nossas vidas; sem ter garantia de emprego e renda e sem ter vacinas para imunizar a todos.

Estamos vivendo um colapso sanitário, por todo esse descaso, e isso sobrecarregada o sistema de saúde e os hospitais, tanto públicos quanto privados, causando mais mortes onde poderiam ser evitadas.

Nada pode diminuir a dor da perda tão precoce e inesperada. Gleide e Bruno acabavam de ser avós de nosso adorado Nuno, filho de Fabi e Rodrigo.

Bruno era professor de Inglês da rede privada e atualmente trabalhava presencialmente. Ele e Gleide moravam em Aracajú e a pandemia impediu que nossa companheira estivesse junto deles nesse momento tão difícil.

A dor de Fabi chega também em nós, que estamos assistindo todos os dias muitos dos nossos serem tombados!

Precisamos transformar nosso luto em luta, nossa consternação em organização e queremos que nossa amiga Fabi, seus familiares e amigos sintam-se abraçados e saibam que estamos no mesmo lado da trincheira nesta luta pela vida!

Gleide, presente!
Bruno, presente!