PSTU e Conlutas marcam presença em ato pró-cotas, no Rio

Na segunda, 25 de julho, cerca de 300 pessoas (de 50 diferentes entidades dos movimentos negro, sindical e popular) se reuniram na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) em um ato em defesa das cotas raciais. O ato foi convocado em defesa da Lei de Cotas e do Estatuto da Igualdade Racial, apresentados pelo senador petista Paulo Paim.

Coerentes com a defesa das cotas raciais, militantes do PSTU compareceram ao ato para apresentar nossas diferenças com os projetos do governo e, ao mesmo tempo, se contrapor àqueles que, hoje, rejeitam completamente a proposta de cotas.

Candidatos do PSTU marcaram presença
Os únicos candidatos da Frente de Esquerda que compareceram à atividade foram Cyro Garcia, que concorre a deputado federal, e Dayse Oliveira, única candidata negra ao Senado. Dayse destacou a importância de participarmos da atividade: “Apesar de não apoiarmos as medidas desse governo – que vêm embutidas em seus projetos neoliberais, que aprofundam ainda mais o abismo que separa negros e brancos neste país – e de também não termos nenhum compromisso político com este ato, consideramos importante estarmos aqui para reafirmar que a luta pelas cotas deve ser encampada pelos movimentos sociais e, inclusive pela Frente de Esquerda, ao contrário do que foi declarado, na imprensa, pelo nosso candidato a vice, César Benjamin”.

Conlutas denuncia ProUni
Durante a manifestação, também foi distribuído o manifesto “Igualdade racial, só com lutas” – elaborado pelo Grupo de Trabalho de Negros e Negras da Coordenação Nacional de Lutas. Falando em nome da entidade, Elias Alfredo, militante do Movimento Negro Unificado (MNU) e do PSTU, destacou que “aqueles que, de fato, defendem cotas devem ser opor a este governo e seus projetos, particularmente ao Programa Universidade para Todos (ProUni), que, ao invés de promover o acesso de negros e negras às universidade públicas, gratuitas e de qualidade, pretende jogar nosso povo nas privadas, com o único objetivo de favorecer os tubarões do ensino particular”.

LEIA TAMBÉM

  • Cotas: uma questão de raça e classe que a Frente de Esquerda tem que defender
  • Equidade e igualitarismo: Por quê os socialistas defendem as cotas?
  • Leia o manifesto dos negros e negras da Conlutas sobre as cotas