PSTU de Araraquara protesta contra taxa de lixo

Leia o manifesto distribuído na cidade paulista. Prefeito e vereadores petistas tentam aprovar o projeto na Câmara nesta quinta-feira, dia 7“CONTRA A COBRANÇA DA TAXA DE LIXO!

O prefeito Edinho (PT) quer cobrar mais um tributo dos trabalhadores. Com a denominação de “Taxa de Preservação e Controle do Meio Ambiente” na prática resgata a cobrança da Taxa de Coleta de Lixo.

Todos os proprietários de imóveis pagarão a taxa cujo valor mínimo será de R$ 3,10 e máximo de R$ 34,68 por mês, dependendo da quantidade de lixo a ser entregue ao DAAE.

Segundo estudos, a arrecadação poderá atingir até R$ 600 mil por mês, ou R$ 7,2 milhões por ano. Com certeza o projeto, como tantos outros, vai ser aprovado pela maioria absoluta dos vereadores há muito tempo cooptados pelo governo Edinho, por interesses puramente pessoais.

Tudo indica que se trata de mais um “esquema” de arrecadação para reforçar o caixa do PT e seus aliados, pois a “cooperativa” ACACIA, que tem a exclusividade de reciclar e vender todos os materiais destinados ao lixão ao lado do Parque Pinheirinho, dirigida pelo PT e subsidiada pelo DAAE provavelmente será beneficiada. Isso é desonesto se considerarmos o paternalismo de, em torno, de 40 trabalhadores em prejuízo de mais de dois mil que vive do “lixo” em nossa cidade.

Os empresários, seguramente irão repassar o valor da “taxa ambiental” para os preços das mercadorias e ainda poderão contar com abatimento no Imposto de Renda. E o povão, como fica? O prefeito reuniu-se com os empresários para negociar emendas no projeto. E os trabalhadores? Foram ouvidos?

Não se enganem! As entidades patronais como Associação Industrial, Associação Comercial bem como os velhos partidos de direita que sempre se revezaram no poder em nossa cidade como PSDB, PMDB, PTB, PP, etc. não estão preocupados com o Meio Ambiente. O que querem é uma negociação melhor para que eles também tirem vantagens e lucratividade na coleta seletiva e na exploração desastrosa dos recursos naturais na nossa cidade e região.

Se o projeto passar, mais uma vez será o trabalhador quem pagará a conta. Os trabalhadores que hoje sobrevivem “catando latinha” e todo tipo de reciclável, sem nenhuma assistência, terão que se deparar com o monopólio da venda do “lixo” mais ricos por grupos ligados ao PT.

O PSTU posiciona-se contra a cobrança de mais taxas para os trabalhadores. Quem deve ser taxado são as grandes fortunas, os empresários, os grandes comerciantes que sempre usaram e continuam usando o Meio Ambiente para “fazer dinheiro” e se enriquecer.

Chamamos todos, principalmente os trabalhadores e suas famílias que sobrevivem da reciclagem em nossa cidade, a resistirem a mais esse assalto aos bolsos da classe trabalhadora.

PARTIDO SOCIALISTA DOS TRABALHADORES UNIFICADO – ARARAQUARA (SP)“