Professores e alunos da faculdade de direito da USP farão greve em solidariedade aos metroviários demitidos

Nesta quinta-feira, 10 de maio, os professores e alunos da faculdade de Direito da Universidade São Paulo (USP) farão uma greve de uma hora e meia em solidariedade aos diretores metroviários demitidos em 23 de abril.

De acordo com o professor Marcus Orione, do departamento de Direito do Trabalho da USP e um dos organizadores da manifestação, sempre houve concordância com o veto à Emenda 3 e aos protestos para garantir a sua manutenção. Para Orione, ao demitir os metroviários que realizaram uma paralisação “como mecanismo de luta para a defesa de interesse ligado à classe trabalhadora”, o governo do Estado e a Companhia cometeram um atentado ao direito constitucional de greve.

Por isso, os professores e juízes Marcus Orione e Jorge Luiz Souto Maior, junto com a gestão Fórum da Esquerda do Centro Acadêmico XI de Agosto, estão convidando todos os professores e alunos da faculdade de Direto para participar de uma paralisação de uma hora e meia no dia 10 de maio, a partir das 10h, para deixar claro aos metroviários “que foram indevidamente punidos, que eles não estão sozinhos na luta pela preservação do Direito do Trabalho”.

A paralisação será acompanhada de ato público que será realizado no Pátio das Arcadas da São Francisco, com a presença de diversas entidades ligadas à defesa do Direito do Trabalho. Também foram convidadas associações de classe da magistratura e do Ministério Público do Trabalho, centrais sindicais e sindicatos, bem como outras entidades do movimento estudantil.