Petroleiros de Sergipe e Alagoas fazem ato contra as punições

Stoessel Toeta, diretor do Sindpetro-AL/SE
Roberto Aguiar

A Petrobras tem aplicado punições aos trabalhadores que participaram da greve nacional da categoria que ocorreu dos dias 23 a 27 de maio desse ano. Somente na Bacia de Campo já são 97 punições. Na UN SEAL, foram punidos trabalhadores no Pilar, Carmopolis, Atalaia, Tecarmo e na Sede/Rua Acre. Inclusive o diretor do Sindipetro-AL/SE, Dalton dos Santos, recebeu advertência por ter realizado assembleia com os trabalhadores.

A Frente Nacional dos Petroleiros (FNP), na mesa de negociação, exigiu da Petrobras o compromisso assinado de que não puniria os grevistas. A Petrobras recusou-se a assinar qualquer termo neste sentido. Mesmo assim, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) indicou a assinatura do acordo. A FNP denuncia a posição da FUP. Hoje, infelizmente, aconteceu o que a FNP dizia. A Petrobras está punindo os trabalhadores.

Frente a essa situação
A FNP está realizando, durante toda essa semana, atos em todo o país. Estão sendo feitos atrasos de uma hora na entrada dos trabalhadores do administrativo e dos turnos. Na base do Sindipetro AL/SE, os atos iniciam no dia 4 de agosto e seguem até sexta-feira, 7.

Na manhã desta terça-feira, foi realizada uma paralisação de uma hora no Tecarmo/Atalaia. Todos os portões foram fechados, e a entrada dos trabalhadores só ocorreu às 8h. Para Stoessel Toeta, diretor do Sindipetro, “a resposta às punições é necessária, pois a greve foi legítima, é um direito dos trabalhadores, e as perseguições feitas pela Petrobras precisam ser combatidas”.

Apesar das divergências com a FUP, a Frente Nacional dos Petroleiros está propondo um calendário unificado de luta contra as punições. “Afirmamos mais uma vez que a postura da FUP ao assinar um acordo que não constava a não punição dos grevistas foi erro, mas nesse momento em que a empresa puniu os trabalhadores a unidade da nossa categoria é fundamental, por isso, estamos propondo à FUP a construção de um dia nacional de luta contra as punições, realizando uma grande manifestação em Macaé [RJ], na Bacia de Campos, no dia 28 de agosto”.

Amanhã, será realizado ato na Sede da Rua Acre, em Aracaju, e no Pilar/AL. Na quinta, será em Carmopolis. O calendário encerra-se na sexta-feira com ato na Fafen.