Parlamentares do PT ameaçados de expulsão defendem unidade da esquerda na CUT contra reforma

Na noite desta quinta-feira, 5 de junho, cerca de 400 pessoas participaram do ato de solidariedade aos parlamentares petistas ameaçados de expulsão por serem contra a reforma da Previdência e a política econômica do governo Lula. Realizado no auditório Elis Regina, o mesmo onde se realiza o plenário do CONCUT, o ato reuniu toda a esquerda cutista.

Estiveram presentes ao ato os deputados Luciana Genro (PT-RS), Babá (PT-PA) e João Fontes (PT-SE). A senadora Heloisa Helena (PT-AL) informou que não poderia estar presente devido a compromissos previamente agendados. Os três parlamentares foram unânimes na reafirmação da luta contra a reforma da Previdência e voltaram a afirmar que não votarão em nenhuma proposta que retire direitos dos trabalhadores. Como parte dessa luta, Babá defendeu ainda a unidade da esquerda na CUT, para manter a central independente e garantir a mobilização: “única forma de derrotar essa reforma feita sob os moldes do FMI’’. Estiveram presentes ao ato várias correntes petistas – a exceção da Articulação Sindical e Democracia Socialista.

Setores do PT – como a corrente O Trabalho – queria limitar o ato aos petistas, alijando militantes do PSTU, de outros partidos e independentes, bem como correntes sindicais de esquerda custista, como o MTS e o bloco Unir a Esquerda da CUT, para realizar um ato onde coubesse apenas o Fortalecer a CUT.

Os parlamentares, entretanto, compreendiam a luta contra a perseguição que vêm sofrendo, como uma luta de todo o movimento e de toda a esquerda da CUT, já que sua perseguição não se dissocia da ofensiva do governo pela aprovação da reforma da Previdência e também da tentativa da Articulaçã na CUT de transformar a entidade numa central governista e excluir os que resistem a este curso.

Os companheiros do “Unir a esquerda na CUT/Movimento por uma Tendência Socialista” também participaram e distribuíram uma nota de solidariedade aos parlamentares.

Leia a nota do Unir a Esquerda na CUT em solidariedade aos parlamentares perseguidos