Oposição ameaça governistas na Apeoesp

No próximo dia 5 ocorrem as eleições da Apeoesp, o maior sindicato da América Latina. Durante todo o dia, milhares de professores vão às urnas eleger a nova diretoria da entidade. Como acontece no cotidiano da categoria, as eleições têm sido marcadas por uma clara divisão entre a atual diretoria da Apeoesp e a oposição.

De um lado, a chapa 1, da CUT e da CTB (Central dos Trabalhadores do Brasil, ligada ao PCdoB). Reúne as correntes petistas Articulação, O Trabalho e DS (Democracia Socialista). Do outro lado está a chapa 2 – Oposição Unificada na Luta, uma ampla frente de oposição que aglutina Conlutas, Intersindical, Oposição Alternativa, FOS (Frente de Oposição Socialista), Apeoesp na Escola e na Luta (APS) e ASS (Alternativa Sindical Socialista).

Diferença está na luta
Embora existam ainda duas outras chapas (PCO e Oposição Revolucionária), de expressão regional, a disputa se dá entre as chapas 1 e 2.

Essa diferença se expressa não só no programa das chapas, mas na combatividade demonstrada na prática. O governo tucano de José Serra acabou de impor um decreto que, na prática, impõe a demissão de 120 mil professores ACTs (“admitidos em caráter temporário”). Tais professores deverão, pelo decreto, passar por uma nova prova, independente do tempo de magistério. Se admitidos, serão contratados em regime temporário.

Enquanto a direção majoritária da Apeoesp não tem nenhuma reação, a Oposição Unificada convocou uma assembléia com paralisação para o dia 13. Foi essa combatividade que fez com que a oposição avançasse das últimas eleições para agora. Enquanto em 2006 a oposição contava com representantes em 47 subsedes, hoje tem com ativistas em 70. A entidade possui 93 subsedes.

O avanço para o interior é importante, pois nas últimas eleições a oposição venceu na capital e perdeu no interior. “Hoje está colocada de forma concreta a possibilidade de vencermos as eleições”, afirma João Zafalão, um dos dirigentes da Oposição Unificada e militante do PSTU.

Lutar contra as fraudes
Mas a vitória não depende apenas da política da chapa 2. Para vencer as eleições, os ativistas de luta da Apeoesp terão que enfrentar a poderosa máquina de fraudes da direção majoritária. Por isso, a Oposição Unificada pede o apoio de todos os setores de luta de todas as categorias para acompanharem as eleições e evitarem a fraude.

Post author da redação
Publication Date