Operários param na Semp Toshiba de Manaus

No dia 16 de julho, operários da Semp Toshiba de Manaus (AM) pararam a fábricaA Semp Toshiba instalada na Zona Franca de Manaus, hoje chamada de “Pólo Industrial de Manaus”, é uma das poucas empresas que não pagam PLR aos seus funcionários. Com um faturamento de R$2,2 bilhões em 2007 e uma projeção de R$2,54 bilhões para 2008, a empresa renovou seu contrato de patrocínio com o Santos Futebol Clube, um dos mais lucrativos entre contratos de patrocínio de clubes de futebol.

A recusa em pagar PLR aos trabalhadores, desencadeou um processo de mobilização dentro da fábrica. O Coletivo Pingo de Solda, grupo de oposição à direção do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, entrou em cena com seu boletim. No dia 22 de julho, os operários da Semp Toshiba que fazem parte do Pingo de Solda fizeram seu primeiro informativo. O panfleto foi distribuído pelos ativistas ligados à Coordenação Nacional de Lutas (Conlutas) e à Coordenação Nacional de Lutas dos Estudantes (Conlute).

“É a aliança operária-estudantil na prática. Estamos distribuindo esse informativo aqui na Semp Toshiba, pois se os patrões identificarem os companheiros que escrevem o boletim Pingo de Solda, eles serão demitidos”, disse Deib Lima, coordenador do Centro Acadêmico de Serviço Social da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), entidade filiada à Conlute e à Conlutas.

A oposição de professores do ensino estadual e municipal, grupo “Vamos à Luta”, ligado à Conlutas, também estava presente na atividade. No final, diretores do Sindicato dos Metalúrgicos tentaram impedir que os estudantes ligados à Conlute distribuíssem o boletim Pingo de Solda, mas não conseguiram e ficaram apenas no bate-boca.

A luta na Semp Toshiba segue.

  • Dar força para a comissão de PLR!
  • Não aceitar as metas impostas pela empresa
  • PLR de no mínimo R$ 2.500
  • Todo poder às assembléias de base dos trabalhadores da Semp Toshiba!

  • Baixe o boletim Pingo de Solda