Operários da construção civil participam de seminário sobre saúde no Pará

Antônio Cesar Neto fala aos operários
Wellingta Macedo

Ilaese promove seminário sobre as doenças e segurança no trabalho para os operários; discussão fortalece a campanha salarialUm seminário voltado para a sensibilização do problema das doenças do trabalho: essa foi a proposta do Seminário de Saúde e Segurança no Trabalho que aconteceu no último dia 29, no auditório do Centro Arquitetônico de Nazaré (CAN), em Belém (PA). Noventa pessoas participaram do evento promovido pelo Instituto Latino-Americano de Estudos Socioeconômicos (Ilaese) com apoio da Conlutas-PA e dos sindicatos da construção civil de Belém e Ananindeua.

O seminário foi direcionado para os trabalhadores desta categoria que são as grandes vítimas de doenças relacionadas ao trabalho. A atividade teve a presença do coordenador do Ilaese, Antônio César Neto, que falou a respeito de três assuntos: o amianto e seus efeitos na classe trabalhadora; as intoxicações por epox, tinta, tiner e colas; e as doenças músculo-esqueléticas, conhecidas como LER/DORT.

Segundo Neto, “essas doenças afetam todos os trabalhadores, sobretudo, os do setor da construção civil”. Para a categoria, que está no meio de uma campanha salarial, este seminário foi de extrema importância, pois conscientiza os trabalhadores sobre a necessidade de lutar não apenas por melhores salários, mas também pela saúde no trabalho e por mais segurança.

Para Aílson Cunha, coordenador-geral do sindicato da construção civil de Belém, “este seminário veio fortalecer a classe operária nos canteiros de obras, pois o ritmo de trabalho aumenta, a exploração aumenta e o trabalhador não sofre apenas com os acidentes de trabalho, mas também com as doenças adquiridas no trabalho ignoradas pelos patrões e os próprios trabalhadores”.