Notas

PÉROLA
Não é justo que uma pessoa possa se aposentar aos 53 anos. Nos demais países do mundo a idade mínima gira em torno de 65 anos.

GARIBALDI ALVES, Ministro da Previdência, retomando o discurso do governo FHC. Garibaldi defendeu a adoção da idade mínima para aposentadoria.

CERCO ÀS FERROVIAS 1 – Alvo de inúmeros protestos realizados pelos movimentos sociais, a Vale agora quer fazer algo inusitado: construir cercas em trechos das ferrovias utilizadas pela mineradora.

CERCO ÀS FERROVIAS 2 – O objetivo é impedir que novos protestos organizados por sem-terras ou populações indígenas paralisem as ferrovias. A última foi de indígenas, em outubro de 2012, no Maranhão, e durou cerca de três dias.

SEM REFORMA AGRÁRIA
2012 vai entrar para história como o pior ano (dos últimos 16) em relação à reforma agrária. Segundo o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), no ano passado foram assentadas pouco mais de 21 mil famílias. Mas, novos dados do mesmo órgão indicam que, de janeiro a novembro, somente 10.815 famílias foram assentadas. Os dados mostram com clareza que, sob os governos do PT, a reforma agrária parou. Isso porque o governo prioriza o grande latifúndio e a produção de poucos produtos para a exportação, em detrimento do fortalecimento da agricultura familiar camponesa.

IMPUNIDADE
A chamada chacina de Unaí, cidade do noroeste de Minas Gerais, ocorreu há nove anos e nenhum dos denunciados foi julgado. A chacina refere-se ao assassinato de quatro servidores do Ministério do Trabalho e Emprego, durante uma fiscalização contra o trabalho escravo, na manhã de 28 de janeiro de 2004. Um dos acusados é o ex-prefeito de Unaí AntérioMânica, que deixou o cargo no ano passado após duas gestões.

IMPUNIDADE 2
O julgamento do latifundiário Adriano Chafik, responsável pelo Massacre de Felisburgo, que resultou na morte de cinco sem terra do acampamento Terra Prometida, em 2004, foi adiado pela Justiça de Minas Gerais. O juri estava marcado para 17 de janeiro, mas foi adiado por “problemas jurídicos” no processo. Em 20 de novembro de 2004, o fazendeiro Chafik e seus jagunços invadiram o acampamento Terra Prometida, no município de Felisburgo, assassinaram cinco trabalhadores rurais e deixaram mais de 20 gravemente feridos. Depois de 8 anos, ninguém foi punido. Em nota, o MST e o Comitê Justiça Felisburgo classificam o adiamento como “lamentável”.

UMA PERDA IMENSA: MORREU JOÃO ZINCLAR
Em 19 de janeiro, perdemos um militante aguerrido que dedicou sua vida à transformação dessa sociedade. Aos 56 anos, João Zinclar foi vítima um acidente que envolveu o ônibus em que ele viajava na BR 101. Militante socialista, companheiro solidário e pai amoroso, João foi operário metalúrgico e integrou a direção do sindicato da categoria em Campinas, de 1990 a 1996. Depois, Zinclar se dedicou a fotografar a luta dos trabalhadores. Um dos seus trabalhos foi o livro de fotografias sobre a luta contra a transposição do Rio São Francisco – “O Rio São Francisco e as Águas do Sertão”. João deixa uma filha e muitos companheiros, de diferentes organizações, que o admiravam e respeitavam pelo militante e ser humano que era.

MUSEU DO ÍNDIO
A ocupação do Museu do Índio, realizada no último dia 12, no Rio de Janeiro, colocou em evidência a resistência dos movimentos sociais contra a ameaça de destruição de vários espaços públicos em função das obras da Copa. Sob o pretexto de “atender as exigências da FIFA”, o governador Sergio Cabral (PMDB) quer destruir um prédio histórico de relevante importância para preservação da cultura indígena, uma escola pública considerada modelo e um complexo esportivo fundamental para os atletas e a comunidade do bairro, que o utiliza para atividades esportivas. Trata-se de um pretexto para enriquecer os já bilionários empresários que esperam faturar R$ 3 bilhões com os Jogos Olímpicos e a Copa de 2014.
 

Post author
Publication Date