No Dia Nacional de Luta, trabalhadores da Baixada Fluminense denunciam mentiras e ataques dos governos e patrões

No dia 1º de abril, reuniram-se trabalhadores e trabalhadoras em Nova Iguaçu, uma das principais cidades da Baixada Fluminense. Convocados pela Conlutas da Baixada Fluminense, trabalhadores que militam na região realizaram uma panfletagem nas lojas e agências bancárias do centro da cidade.

A atividade, iniciada na sede da Light, companhia energética do Rio de Janeiro, às 7h, contou com a participação das diversas entidades, minorias e oposições que constroem a Conlutas na região. Estiveram presentes o Sindicato dos Trabalhadores de Comércio de Nova Iguaçu e Regiões, Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (Sintur), Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), Oposição Bancária e representantes dos movimentos populares.

Em consonância com as resoluções aprovadas na última reunião da Coordenação Nacional da Conlutas, a panfletagem teve como finalidade denunciar as mentiras que envolvem a transposição do rio São Francisco, a flexibilização dos direitos trabalhistas e o Reuni do governo Lula que, na verdade, são medidas que só beneficiarão empreiteiras, latifundiários e patrões.

Para os trabalhadores da região, as mentiras de Lula e dos patrões têm perna curta. Os índices de desemprego e de violência, a falta de saneamento, o abandono da saúde e da educação públicas são exemplos de que muito pouco ou quase nada mudou para a classe trabalhadora na Baixada Fluminense.

O sucesso do ato pôde ser verificado através do apoio recebido ao longo de toda a atividade, aos ativistas e à Conlutas. Conforme afirmou o companheiro Renato Gomes, militante do PSTU e dirigente do Sindicato dos Comerciários, “a Conlutas vem demonstrando que, mais do que uma necessidade, ela já é uma realidade enquanto ferramenta de luta para a classe trabalhadora nesse país”.