Neonazistas presos em Curitiba: impunidade alimenta os crimes de ódio

Blog prega violência às mulheres, homossexuais e ativistas de esquerda

No último dia 22 foram presos em Curitiba dois ativistas neonazistas que planejavam realizar um ataque a alunos do curso de ciências sociais na Universidade de Brasília (UnB). Emerson Eduardo Rodrigues e Marcelo Valle Silveira Mello, foram presos após postarem em um blog ameaças contra os estudantes da universidade, contra o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e ao PSTU e o PSOL.

“Este provávelmente (SIC) é o último registro que irei deixar. Quanto acontecer, a mídia controlada pelos judeus e esquerdistas irá criar 1000 teorias em cima da merda toda. As palavras “bullying” e “psicopata” lógicamente estarão presentes.A cada dia que se passa fico mais ansioso, conto as balas, sonho com os gritos de vagabundas e esquerdistas chorando, implorando para viver.Vejo o sangue para tudo quanto é lado, manchando uma camiseta com o logotipo do PSOL/PSTU. O semestre já começou. A profecia irá ser cumprida.”, ameaçava Emerson em seu blog.

De acordo com a Polícia Federal, foram apreendidos com os dois mapas e plano para a realização do massacre na universidade.

Há mais de um ano, o Blog de Emerson realizava pregações asquerosas e claramente nazistas, como o extermínio de gays, lésbicas, mulheres, nordestinos, judeus e negros. Em um dos post, chegou a “ensinar” a prática do estupro corretivo em mulheres lésbicas, para que deixassem a homossexualidade, intitulado “Penetração corretiva – Lésbicas: Como penetrar”. Em outro, ele defendia a misoginia afirmando que a mulher “era um pedaço de carne”. De maneira doentia, o blog ainda postava fotos de mulheres violentadas além de fazer alusões à pedofilia.

Em seu blog, Emerson chegou a apoiar Wellington Menezes de Oliveira que, em abril de 2011, matou 12 crianças em uma escola em Realengo, no Rio de Janeiro. Os dois acusados disseram à polícia que foram procurados por Oliveira, para orientá-lo sobre como proceder na ação criminosa.

Impunidade que alimenta o ódio
No entanto, apesar de quase 70 mil denúncias de conteúdo abusivo – um recorde na Internet brasileira – Emerson, continuava a publicar todo o tipo de conteúdo asqueroso sem a preocupação de ser punido.
Em várias notas, ele desafiava todos aqueles que denunciavam seu blog, confiando na total impunidade. A última nota postada era um claro exemplo disso: “Que todos estes movimentos esquerdistas façam coro, berrem, gritem, no fundo, não vai acontecer merda nenhuma. O mundo em que vocês vivem querendo ou não, é capitalista, e o dinheiro e o poder compram tudo”.

Marcelo e Emerson já tinham experimentado a impunidade por seus crimes. Com longa ficha de crimes de racismo, Marcelo publicou, em 2005, uma sequência de ofensas contra negros no site de relacionamentos Orkut. Estudante de Letras da UnB na época, Marcelo foi processado e condenado, em 2009, a um ano e dois meses de prisão. Recorreu da decisão e não passou um dia sequer na cadeia. Como se não bastasse, Marcelo era alvo de quase dez queixas na Polícia Civil do Distrito Federal, uma delas por agredir a mãe. Também responde a um segundo processo por racismo, aberto em 2011.

Seu comparsa, Emerson também tem histórico de agressão as mulheres e é investigado por participações em homicídios que ocorreram em Curitiba.

Como se vê, a impunidade seguiu encorajando os dois nazistas. Impunidade essa que também faz crescer o número de crimes racistas, agressões e assassinatos contra homossexuais e mulheres. Se não fosse a persistência de vários internautas, que continuaram denunciando persistentemente o blog fascista, uma grande tragédia poderia ter ocorrido.

Por outro lado, não há dúvidas de que as políticas higienização social, levadas a cabos pelos governos do PT e PSDB (e seus aliados), também alimentam o ódio racista e contra os pobres (vide os moradores de rua queimados por jovens no Distrito Federal). Ações do Estado como a covarde e brutal desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos, ou a operação da PM Cracolândia, “naturalizam” a ideia de que para erradicar com a miséria é preciso eliminar os pobres (negros, nordestinos, setores oprimidos etc.) da paisagem urbana. A política de higienização ganha mais força ainda com as remoções realizadas para as obras da Copa e das olimpíadas.

É preciso exigir punição exemplar para os dois neonazistas. Mais isso apenas não basta. É preciso exigir dos governos políticas efetivas de combate ao racismo, machismo e homofobia. Políticas que, infelizmente, o governo do PT sequer pensa em implementar, pois, para o governo o que importa é manter a aliança espúria com os setores mais conservadores e reacionários da política nacional.