Na reta final, Justiça Eleitoral tira programa do PSTU em favor de Serra

Apesar de o PSDB ter entrado com ação há duas semanas, só às vésperas do fim da campanha o TSE garante direito de resposta a SerraNesse dia 28, o Tribunal Superior Eleitoral concedeu direito de resposta ao candidato do PSDB à presidência, José Serra, contra o PSTU. A medida se deu contra o programa de Zé Maria denunciando a corrupção, veiculado no dia 18 de setembro, em que mostra a relação entre o PSDB e o ex-governador do DF, José Roberto Arruda (ex-DEM), preso por dois meses pelo escândalo do “mensalão do DEM”. O partido de Serra integrava a base de apoio de Arruda.

A coligação tucana “O Brasil Pode Mais”, afirmou na ação que houve injúria no trecho do programa que afirma que “o PSDB apoiava o governo de Arruda (…) de Brasília. Todos eles têm o rabo preso. Por isso você nunca vê as investigações terminarem em prisão de banqueiros e políticos”.

Em sua defesa, o PSTU afirmou ao TSE que “é totalmente descabida a alegação feita pela Coligação e José Serra, visto que o programa veiculado pelo PSTU diz apenas que o PSDB apoiava o governo de Arruda, o que é fato público e notório”.

A defesa realizada pelos advogados do PSTU lembra ainda de inúmeras notícias da própria imprensa informando que o então governador Arruda era cogitado para ser o candidato a vice-presidente de Serra. Cita ainda o vídeo amplamente divulgado pela Internet em que o hoje candidato tucano, ao lado de Arruda brinca: “vote em um careca e ganhe dois”, referindo-se à possibilidade de ambos disputarem as eleições lado a lado em uma chapa comum.

A ministra do TSE, Fátima Nancy Andrighi, no entanto, mesmo sem contestar os fatos apresentados pelo PSTU, concedeu o direito de resposta ao candidato tucano. Apesar de a ação estar tramitando há pela duas semanas no tribunal, a decisão só foi divulgada a poucos dias do fim da campanha.

O PSTU já está recorrendo da decisão.

REVEJA O PROGRAMA SOBRE CORRUPÇÃO