Movimento vai realizar jornada de lutas pela moradia

Protesto apoiado pela CSP – Conlutas será realizado entre os dias 20 e 23O movimento popular prepara uma ofensiva contra a especulação imobiliária e as ações de despejos que estão se intensificando no país. A Resistência Urbana – Frente Nacional de Movimentos vai realizar entre os dias 20 e 23 uma jornada de lutas com manifestações em 12 estados nas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

A jornada defende a garantia de moradia digna para todos, sem despejos e remoções; o combate à repressão e à criminalização da pobreza; uma política de desapropriações de imóveis vazios e medidas de combate à especulação imobiliária, além de exigir a construção de moradias populares e uma reforma urbana voltada aos trabalhadores.
Atualmente o setor imobiliário é um dos que têm maior movimentação financeira no país. Grandes empreendimentos e obras públicas estão sendo construídos em larga escala, principalmente nas metrópoles.

Para realizar tais obras, as empreiteiras e construtoras, em conjunto com o governo federal, retiram comunidades inteiras de seu local de origem e as enviam para regiões cada vez mais afastadas dos centros urbanos. O direito de ter um espaço na cidade é privatizado e elitizado, aumentando a desigualdade social no Brasil. Essa é verdadeira face da política federal de habitação, que não atende a população de baixa renda.

Como se não bastasse, as ações de violência e despejos contra milhares de famílias que lutam pelo direito à moradia se tornaram uma triste rotina. Tais ações são patrocinadas pelos governos federal, estaduais e municipais com o único objetivo de beneficiar a especulação imobiliária.

Este cenário deve se agravar nos próximos anos, com a preparação para a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2012. As cidades-sedes irão passar por um “embelezamento” voltado ao turismo, contra o direito elementar à vida e à moradia. Serão construídos estádios, centros esportivos e avenidas. Aeroportos serão ampliados.

Tudo isso será viabilizado através de muitos despejos e da criminalização da pobreza. Foi isso o que aconteceu com o Pan Americano, no Rio de Janeiro, onde se criou a imagem de uma cidade em que não se viam favelas e nem violência.
A Jornada de Lutas contra Despejos é uma mobilização para garantir que a cidade seja um espaço igualitário, comum a todos. A CSP-Conlutas apoia e constrói essa jornada juntamente com os que lutam por salário e em defesa da liberdade de expressão e organização dos movimentos contra a repressão de governos, patrões e empreiteiros.

*com CSP – Conlutas

Post author da redação *
Publication Date